Tamanho da letra: A+  |  A-
 
  IMPONÊNCIA DA VELHA ROMA - ( FOTO DE INÔ RIOU)

A imagem pode conter: pessoas em pé, céu e atividades ao ar livre

 
Nenhum comentário | deixar comentário
   
   
  E AGORA?

Candidatura de Luciano Huck entusiasma mercado

.
Painel, Folha de S. Paulo
 
Uma eventual candidatura de Luciano Huck ao Planalto saiu do anedotário. Na última semana, o apresentador tornou-se assunto central em conversas de grandes investidores e analistas do mercado. Ele é visto como a alternativa mais palatável entre os outsiders. Representaria o pensamento liberal para a economia, sem conservadorismo nos costumes. No mundo político, movimento semelhante. Pesquisas que chegaram a ele e a partidos indicam forte potencial de voto no Nordeste.
 
O apresentador tem feito uma série de reuniões reservadas com alguns dos mais influentes empresários e economistas do país. Sempre ouve mais do que fala. Não evidencia intenção de ser candidato, mas diz que quer conhecer projetos para o país. Armínio Fraga faz às vezes de cicerone.
 
Huck costuma contar experiências em tom motivacional. Tem dito que a vida é dividida em fases e que chegou o momento de ele “retribuir” o que recebeu do país. Ele também pede análises sobre nomes que estão cotados ao Planalto, como o governador Geraldo Alckmin e o prefeito de SP, João Doria, do PSDB.
 
O apresentador conversou com publicitários. Ouviu que tem apelo entre os mais pobres e que não precisaria antecipar a campanha. Por ser extremamente conhecido, teria condições de se apresentar para o jogo às vésperas da partida. O assédio do PIB a Huck virou motivo de gracejo entre analistas do mercado financeiro. Os empresários que estimulam sua candidatura têm sido chamados de “viúvas de Doria”.
 
Nenhum comentário | deixar comentário
   
  NO FACEBOOK

 

Marinalva Pereira comentou isso.
Não estou entendendo??? No face pedem para renovar a política? São os mesmos. Alguns pintaram o cabelo kkk .Meu Deus.
 
 
Nenhum comentário | deixar comentário
   
  EDUARDO AFFONSO

Fora Temer, quem mais
os petistas odeiam?

 
 
Compartilho com os petistas uma profunda antipatia por Eunício Oliveira. Só que eles o achavam simpaticíssimo quando era ministro das Comunicações de Lula
Pois é. Eles dizem que o governo de Temer é ilegítimo, inconstitucional, fisiológico, entreguista, feio, bobo, golpista etc.
 
Compactuo com o horror que os petistas têm ao Temer, ao seu governo, aos seus ministros. Acho que ele deve ser julgado, cassado e enviado para a Papuda.

Com a ressalva de que eu não votei no Temer. Eles, sim. O Temer me caiu de paraquedas, me foi enfiado goela abaixo. Os petistas, ao contrário, escolheram-no. E não uma vez só, mas duas.
 
Aceitei o Temer como quem aceita uma injeção de Benzetacil. Não queria, não gostava, era horrível – mas era isso ou uma infecção generalizada. Respirei fundo, prendi o choro, xinguei a mãe do moço da farmácia e toquei o barco.
 
 
Como os petistas, não suporto olhar para a cara do Edison Lobão, nobre presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado.
 
Mas, ao contrário dos petistas, eu também não o suportava quando ele era Ministro de Minas e Energia de Lula e de Dilma.
 
Compartilho com os petistas uma profunda antipatia pelo Presidente do Senado, Eunício Oliveira. Só que eles o achavam simpaticíssimo quando era Ministro das Comunicações de Lula.
 
Eliseu Padilha, braço direito do golpista, quem consegue confiar nesse sujeito? Os petistas, certamente – pelo menos enquanto foi Ministro da Aviação Civil da finada Presidenta.
 
Como não me solidarizar com os petistas no asco pelo Geddel Viera Lima, o do apartamento com vista pro mar em Salvador? Mas o asco deles é recente, só desabrochou depois que ele deixou de ser Ministro da Integração Nacional do viúvo de D. Marisa.
 
Ah, Romero Jucá, o sorumbático Romero Jucá… Impossível não ser tomado de ojeriza ao vê-lo, ouvi-lo, imaginá-lo. Exceto os petistas, que surubaram com ele sem pudor algum enquanto era Ministro da Previdência Social do Lula.
 
E Silas Rondeau, encalacrado na Lava Jato, indiciado por tráfico de influência?
Abominável, diriam os petistas — e eu concordo. Mas os petistas só acham isso depois que ele deixou de ser Ministro de Minas e Energia.

De quem?

Ganha um sítio em Atibaia quem adivinhar.
 
E tem ainda Moreira Franco, estrategicamente nomeado pelo nefasto Temer apenas para adquirir foro privilegiado. Se bem me lembro, ele teve o mesmo foro como Ministro de Assuntos Estratégicos de Dilma, e ninguém falou nada.
 
Eu não gosto do Temer, mas desde sempre.

Os petistas, esses só começaram a desgostar quando ele se cansou de ser um vice decorativo e resolveu partir para novos desafios e se reposicionar no mercado.

Por isso entendo quando entram em transe (e em loop) com seu mantra “Fora, Temer”.

É que levaram cinco anos para perceber que ele existia (e que existiam Moreira Franco, Jucá, Eunício, Rondeau, Padilha, Geddel), e só aí começar a ladainha.
 
Sabe como é, ficha de petista demora um pouco a cair. ( Blog do Fábio Campana)
 
Nenhum comentário | deixar comentário
   
  DIÁRIO DO PODER - CLÁUDIO HUMBERTO

Tucanos querem Aécio fora

 
O comando do PSDB cita levantamento em que a maioria dos seus deputados quer o afastamento imediato do senador Aécio Neves (MG) da sua presidência nacional. Eles alegam que “é preciso virar a página”. O movimento contra Aécio parece inspirado pelo Palácio dos Bandeirantes, que ainda teme a influência do senador para fazer do prefeito João Dória candidato do PSDB a presidente, em 2018.
 
As denúncias de corrupção afastaram Aécio da presidência do PSDB, e seu substituto será eleito em 40 dias, na convenção do partido.
 
Alckmin criou coragem de assumir a candidatura a presidente depois de Aécio Neves cair em desgraça, ao ser denunciado por corrupção.
 
Sentindo-se ameaçado por Dória, que tem desempenho melhor nas pesquisas, Alckmin assumiu postura mais agressiva contra o prefeito.
 
Nenhum comentário | deixar comentário
   
  NAS BANCAS

 
Nenhum comentário | deixar comentário
   
  NOSSA TERRA - DO FACEBOOK DO JOEL SILVA

A imagem pode conter: montanha, céu, atividades ao ar livre e natureza

 
Nenhum comentário | deixar comentário
   
  VERDADE

 

 
 
Nunca passamos por uma crise tão longa. Nunca a desesperança foi tão profunda. E depois de três anos continuados de recessão e desemprego, não há luz no fim do túnel.
 
Caiu ao rés do chão o otimismo quanto às perspectivas do desenvolvimento brasileiro.
 
Já não somos o país do futuro. Ninguém mais nos respeita como um dos emergentes.
 
Voltamos à condição de republiqueta de corruptos e salafrários, como se vê nas manchetes dos grandes jornais do mundo.
 
Em todas as faixas sociais há insatisfação. Inclusive onde os governos petistas mais se apoiavam. Foi pelo ralo a crença no que se considerava uma das conquistas mais preciosas deste início de século – a redução expressiva da vergonhosa desigualdade social do país. A afirmação, tão cara às administrações petistas, de que a distância entre ricos e pobres encurtou no período da expansão acelerada da economia e dos programas de assistência social. É preciso esclarecer do que se está falando. Não resta dúvida de que os ganhos de todos os estratos aumentaram nos anos de bonança.
 
Entretanto acreditava-se que a base da pirâmide social, e não o topo, havia se apropriado da maior parte da renda gerada.

 

 
Nenhum comentário | deixar comentário
   
 
Tamanho da letra: A+  |  A-
 
  PODER 360

 

 

 

 

 
  Nenhum comentário | deixar comentário  
   
  AGENCIA BRASIL

Votação da denúncia contra Temer deve dominar debates desta semana na Câmara

 
Iolando Lourenço - Repórter da Agência Brasil
Brasília - CCJ da Câmara aprova por 39 votos favoráveis, 26 contrários e 1 abstenção o parecer do deputado Bonifácio de Andrada pela inadmissibilidade da denúncia da PGR contra o presidente Temer e os ministros
O parecer de Bonifácio de Andrada foi aprovado por 39 votos a 26, com uma abstençãoArquivo/Agência Brasil
A discussão e votação do parecer do deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), que é contra a admissibilidade da denúncia contra o presidente Michel Temer e os ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha, e da Secretaria-Geral, Moreira Franco, vão dominar os debates desta semana na Câmara dos Deputados. A votação do parecer, que foi aprovado na Comissão de Constituição e de Justiça (CCJ) por 39 votos a 26, com uma abstenção, está prevista para quarta-feira (25), e a sessão começa às 9h.
Na denúncia apresentada pelo então procurador-geral da República Rodrigo Janot, em setembro, o presidente da República é acusado de ser um dos líderes de uma organização criminosa que atuava na Câmara. Os dois ministros são apontados como integrantes do grupo.
Embora o governo precise de 172 votos, ou seja, o voto de um terço mais um dos 513 deputados, para impedir que a Câmara autorize o Supremo Tribunal Federal (STF) a investigar o presidente da República e os ministros, líderes aliados do governo intensificam os trabalhos em busca de um número expressivo de apoios ao parecer de Bonifácio de Andrada, que é contra a autorização de abertura de investigação. Os governistas também trabalham para que compareça à votação um grande número de deputados.
De acordo com as normas divulgadas pela Câmara, iniciada a ordem do dia, o relator Bonifácio de Andrada terá 25 minutos para falar. Em seguida, os três advogados de defesa terão também 25 minutos para apresentar suas justificativas. Os deputados que se inscreverem para discutir a denúncia terão 5 minutos, cada um, com alternância entre parlamentares contra e a favor do parecer. Depois que quatro deputados falarem é permitida a apresentação de requerimento de encerramento das discussões, o qual será votado, desde que haja pelo menos 257 parlamentares no plenário. A aprovação se dará por maioria dos presentes.
Concluída a discussão, será iniciada a fase de votação, desde que no mínimo 342 deputados tenham registrados presença no painel eletrônico. A partir daí, será concedida a palavra por 5 minutos a dois oradores contrários ao parecer e dois favoráveis, alternadamente, para o encaminhamento da votação. Em seguida, inicia-se a orientação de votação das bancadas, na qual cada líder tem direito a 1 minuto de fala.
A votação será por chamada nominal, por ordem alfabética, por estado, alternadamente do Norte para o Sul e vice-versa. Concluída a votação e tendo votado ao menos 342 deputados, será proclamado o resultado. Para que a Câmara autorize o STF a iniciar as investigações contra o presidente e os ministros são necessários, no mínimo, 342 votos contrários ao parecer de Andrada.
Outras votações
Além da análise da denúncia, está na pauta da Câmara a votação na terça-feira (24) do projeto de lei complementar que inclui municípios de Minas Gerais e do Espírito Santo na área de abrangência da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) em função das condições climáticas semelhantes às do Semiárido. De acordo com o projeto, serão acrescentados na área da Sudene 81 municípios de Minas e dois do Espírito Santo, que passarão a contar com recursos do Fundo Constitucional do Nordeste (FNE).
Vetos
Também na terça-feira está prevista realização de sessão do Congresso Nacional para a votação de seis vetos presidenciais feitos a projetos de lei aprovados pelo Parlamento e também a votação de 13 projetos para a abertura de créditos adicionais orçamentários para atendimento a diversos setores públicos
 
  Nenhum comentário | deixar comentário  
   
  SUSPENSE

 
Lauro Jardim, O Globo
 
As negociações para a delação de Antonio Palocci seguem de vento em popa com a força-tarefa em Curitiba. Mas, em Brasília, com a PGR de Raquel Dodge, ainda não foram retomadas
 
  Nenhum comentário | deixar comentário  
   
  DESAFIO

Papa quer o clero contra a corrupção

O papa Francisco fez uma defesa da necessidade da união do clero no Brasil diante da “escandalosa corrupção” ocorrida no país. As declarações do líder da Igreja Católica foram dadas neste sábado (21), por ocasião do encontro com a comunidade do Pontifício Colégio Pio Brasileiro de Roma.
 
Na segunda ocasião em que fala sobre a temática em menos de três meses, Francisco disse ainda que a situação do país exige do clero a demonstração de união, fraternidade e solidariedade aos brasileiros.
 
“Neste momento difícil de sua história nacional, quando tantas pessoas parecem perder a esperança em um futuro melhor devido aos enormes problemas sociais e à corrupção escandalosa, o Brasil precisa que seus sacerdotes sejam um sinal de esperança. Os brasileiros precisam ver um clero unido, fraterno e unido em que os sacerdotes são confrontados com obstáculos, sem ceder às tentações de protagonismo ou carreira.
 
Tenha cuidado com isso!”, disse o pontífice.
 
  Nenhum comentário | deixar comentário  
   
Última atualização: 23/10/2017 08:45
     
Notícias Anteriores
     
 
 
  Clique aqui para mandar um e-mail!
  A EDUCAÇÃO VEM DOS AVÓS
 
  A SATISFAÇÃO PLENA É ASSUSTADORA
 
  Dor do desejo
 
  FAMÍLIA É PRATO DIFÍCIL DE PREPARAR
 
  A NOBREZA DO SERVIR
 
  Mais Artigos ›  
  CEREJAS DA VIDA
 
  O SENTIMENTO DE SAUDADE
 
  PODER E STATUS
 
  APROVEITA ENQUANTO DURA
 
  Eu não quero ter razão, eu quero é ser feliz!
 
  Mais Crônicas ›  
Sintonia Comunicações Ltda
CNPJ: 005.967.432/0001-90