Campo Grande, 26 de novembro de 2020

Blog do Manoel Afonso

Opinião e atitude no Mato Grosso do Sul

Artigos

Artigos • 20 nov, 2020

O dia da consciência negra


(por Claudio Henrique de Castro) – A cada 23 minutos um jovem negro é morto, a cada 24 horas 13 mulheres são mortas e a maioria são negras.
Dos quase oitocentos mil presos no Brasil, 40% respondem por crimes relacionados às
drogas e quase outros 40% por crimes patrimoniais, cerca de 66,7% dos encarcerados prisões
que aconteceram em razão das condições sociais da pobreza e da cor e, no geral, pela falta de
acesso aos direitos fundamentais.
O Brasil tem cerca de 334 células nazistas, divididos em 17 grupos distintos, a maioria
estão concentrados na região Sul e em expansão.
A Covid-19 no Brasil tem cor e classe social, os grupos mais vulneráveis e tem endereço
nas periferias e os mais afetados são da população negra. A pandemia assim como a estrutura
social no Brasil discrimina a cor, o gênero, a classe social e a etnia.
A intolerância religiosa contra as crenças de matriz africana cresceu cerca de 56% em
2019, as redes sociais intensificaram os ataques racistas.
A Constituição garante que o crime de racismo é imprescritível, o Supremo Tribunal
Federal equiparou a homofobia e a transfobia como crimes de racismo por reconhecer a
omissão legislativa do Congresso Nacional, outra vergonha para o legislativo brasileiro.
Aliás também deveriam ser imprescritíveis os crimes de corrupção, contra as mulheres
e os crimes sexuais, que possuem penas brandas se comparadas com o mundo Europeu.
A renda dos 1% mais ricos é 33,7 vezes a dos 50% mais pobres no Brasil. Somos
campeões de concentração de renda no mundo e não temos impostos sobre as grandes
fortunas. Nesta mesma linha as estatais lucrativas estão sendo torradas.
Predomina o racismo estrutural no país que foi o último da América a abolir a
escravidão.
Será que os poderes do Estado, a política e a sociedade estão realmente combatendo
o racismo para transformar o Brasil numa sociedade tolerante, fraterna e igualitária como reza
a Constituição?
Temos um discurso oficial que oculta, tolera, é indiferente e apoia as grandes
desigualdades sociais e raciais no país?
O dia 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, é para refletirmos esta realidade.

Fonte: www.direitoparaquemprecisa.com.br




Deixe seu comentário