Campo Grande, 24 de outubro de 2018

Blog do Manoel Afonso

Opinião e atitude no Mato Grosso do Sul

Artigos

Artigos • 03 out, 2018

O medo que paralisa (Claudia Malfatti)


Cuidado! O medo impede sonhos. Quantas vezes você deixou de tomar atitude por conta desse sentimento? Até se imagina em determinada situação, mas tem receio de trilhar o caminho. Acha que não dá conta, que é muito para você. O tempo passa, o desejo fica junto com a frustração de não ter tentado. A coragem vem como a principal atitude para contrapor a dificuldade de enfrentar os desafios.

Primeiro, acredito ser importante esclarecer que o medo é intrínseco, instinto primitivo, prepara o corpo ao sinal de perigo para duas situações: luta ou fuga. Serve de proteção, sobrevivência. Por exemplo: O temor de ser assaltado faz com que tomemos atitudes, como não caminhar pela rua de madrugada. Nesse caso, estamos falando do medo real, mas tem também o imaginário, aquele relacionado às fantasias ou mesmo o patológico, quando falamos das fobias.

Em qualquer um deles, o corpo denuncia. Respiração acelerada, aumento do batimento cardíaco, boca seca, mãos trêmulas, entre outros. A sensação é a pior possível, dependendo da intensidade fica difícil disfarçar. Controlar então, nem se fala. Temos que compreender e mandar embora o medo limitante, aquele que nos faz parar por conta de crenças. Esse sim mata sonhos, vem como cobra peçonhenta, te acata e envenena.

Percebo a insegurança de mãos dadas com esse sentimento. Somos o nosso maior obstáculo. Viver o novo é viver o desconhecido. Quem não tenta fica com a absoluta certeza do fracasso. A não realização também traz frustrações imensas, tá. Então, por que não arriscar? Se for para perder, melhor que seja lutando. As grandes batalhas estão aí….vai enfrentá-las? Escolha boas “armas”, a confiança e o otimismo são algumas delas.

“Muitos de nós não estamos vivendo nossos sonhos porque estamos vivendo nossos medos”. Les Brown




Deixe seu comentário