Campo Grande, 11 de dezembro de 2018

Blog do Manoel Afonso

Opinião e atitude no Mato Grosso do Sul

Artigos

Artigos • 12 out, 2018

Palco de Idiotices


 

Esta eleição, como nunca antes, revela um cenário grotesco, um circo alegórico de poucos neurônios morrendo de solidão nas extremas equidistantes. Um festival de mentiras, falsidades e teorias conspiratórias da iminência do totalitarismo bolivariano ou militarista.

Perde o País a oportunidade de diálogo e discussão sobre temas relevantes como segurança, educação, políticas públicas de geração de emprego e renda, distribuição da riqueza, criação de oportunidades de inclusão social, combate a drogas, prioridades às minorias, reformas inadiáveis, tamanho e papel do Estado, para a troca de acusações e fakes sobre homens e mulheres, machismo, feminismo, gêneros, negros e brancos, ricos e pobres, altos e baixos e outros embates divisionistas intencionalmente provocados. Por quem? Quando criança minha mãe perguntava quem começou o desentendimento? Hein? Foi ela mãe, não foi ele mãe – e diante da incerteza, sobrava castigos educativos pra todos.

Eu sei quem começou estrategicamente a discussão de questões periféricas. Eu sei quem desviou a atenção pra não assumir a responsabilidade pelo Brasil de hoje, esgualepado, dilapidado, usurpado roubado, exaurido. Eu sei a quem interessa este campo de jogo.
Por isto vou votar com um olho na história e outro na esperança. Um olho nas companhias e nas antecipadas relações de troca e rifa do bolo. Um olho no fake outro na realidade, um olho no bolinho outro no gato, porque político que escorregou uma vez fica com sabão no salto.

Entre mortos e feridos sobrevivemos, alguns “amigos” e parentes um pouco mais distantes, talvez providencialmente e temporariamente, eles passam, nos enganam erram e acertam. Nós ficamos, permanecemos e se alguns se afastam de vez é porque não deveriam estar perto.
Ser traído uma vez pelo falso discurso pelo falso aceno é normal, outras seguidas vezes é uma escolha. Tomara, ainda tem um tempinho, que o embate se mova em direção ao que interessa e é essencial pra nação.

Galdino Alves Junior – Blog do Zé Beto




Deixe seu comentário