Campo Grande, 20 de outubro de 2018

Blog do Manoel Afonso

Opinião e atitude no Mato Grosso do Sul

Brasil

Brasil • 02 ago, 2018

Número de eleitores no exterior cresceu 41,37%, revela TSE


TSE atribui o salto à cooperação entre o Ministério das Relações Exteriores e a Justiça Eleitoral para o cadastro de brasileiros residentes em outros países.

Número de eleitores no exterior cresceu 41,37% (Foto: Divulgação)

O número de eleitores brasileiros no exterior aumentou 41,37%, saltando de 354.184 para 500.727 pessoas nos últimos quatro anos, informou na manhã desta quarta-feira, dia 1º, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

No mesmo período, a quantidade de jovens de 16 e 17 anos – cujo voto é facultativo – aptos para votar caiu de 1.638.751 pessoas para 1.400.617, uma queda de 14,53%. Os dados fazem parte do perfil do eleitorado brasileiro para as Eleições Gerais 2018, divulgado pelo tribunal eleitoral.

De acordo com o TSE, 147.302.354 brasileiros poderão votar nas próximas eleições, um aumento de 3,14% em relação aos números de 2014, quando 142,8 milhões de brasileiros estavam aptos para votar.

Os 147,3 milhões de eleitores brasileiros estão distribuídos em 5.570 municípios do País e em 171 cidades de 110 países no exterior. A maioria do eleitorado é formado por mulheres: 52,5%.

De acordo com o TSE, a faixa etária de 45 a 59 anos é a que apresenta a maior quantidade de eleitores: 35.742.439 pessoas, o equivalente a 24,26% do eleitorado brasileiro. Depois, a faixa etária com o maior número de eleitores é a de 25 a 34 anos, com 31.149.869 pessoas (21,15% dos eleitores).

Enquanto o número de eleitores de 16 e 17 anos diminuiu, a quantidade de brasileiros com mais de 70 anos aptos a votar (cujo voto também é facultativo) aumentou 11,12%, passando de 10,8 milhões para 12 milhões de 2014 pra 2018.

O TSE destacou que projeções do IBGE apontam que a população de 16 e 17 anos diminuiu 7,63% de 2014 pra 2018, o que pode lança luz sobre a queda no número de jovens nessa faixa etária habilitados para votar. O tribunal diz que promoveu campanhas de conscientização para promover a participação de jovens na campanha.

O TSE atribui o salto no número de eleitores no exterior à cooperação entre o Ministério das Relações Exteriores e a Justiça Eleitoral para o cadastro de brasileiros residentes em outros países.

A Justiça Eleitoral implantou um aplicativo online em substituição ao documento em papel, substituído a versão impressa do título de eleitor, que era transportada por mala diplomática para chegar aos eleitores.

Fonte – Estadão




Deixe seu comentário