Campo Grande, 22 de setembro de 2020

Blog do Manoel Afonso

Opinião e atitude no Mato Grosso do Sul

Campo Grande

Campo Grande • 09 mar, 2019

Antes da licitação, técnicos estrangeiros vistoriarão Aquário


Prevista para o fim deste mês, a retomada da licitação do Aquário do Pantanal ainda depende de vistoria de técnicos estrangeiros em equipamentos já instalados na obra. Segundo o vice-governador e titular da Secretaria Estadual de Infraestrutura (Seinfra), Murilo Zauith, aparelhos do sistema de filtragem precisam ser testados, já que nunca foram colocados em funcionamento.

“Os equipamentos já estão montados, mas nunca foram usados e vieram da Espanha. Funciona assim: são quatro tanques, esses tanques tem bombas, que ficam rodando a água, as bombas são importadas e nunca foram postas em funcionamento, então eles precisam vir ver”, explicou.

O secretário afirmou que a demanda não deve interferir no prazo dado por ele para retomada da licitação da obras. “Nós já estamos em contato com eles, estava dentro da nossa programação”, disse.

Ainda conforme Zauith, também será necessária a vinda de técnicos da Califórnia, que vão conferir em que situação estão as peças de acrílico que compõem o Aquário. “Enviamos uma proposta e estamos aguardando o retorno deles”, afirmou.

Zauith lembrou que o Aquário do Pantanal é um projeto excepcional, com peças estrangeiras, o que exige do governo bastante diálogo com as empresas responsáveis pelas peças da obra, antes da abertura da licitação.

SEM FIM

Iniciada em 2011, a obra do Centro de Estudos e Pesquisas da Ictiofauna Pantaneira (Cepric) está parada desde de 2014 e apodrece em decorrência do tempo e abandono.

Orçada inicialmente em R$ 84.749.754,23, a obra inacabada já consumiu mais de R$ 240 milhões do cofre do Governo do Estado. No ano passado, em um novo levantamento, foi apontado que seriam necessários R$ 39 milhões para recuperar o que foi danificado com o tempo e concluir a construção.  No fim de dezembro, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) afirmou que está fazendo uma nova planilha de gastos.

Luana Rodrigues – Correio do Estado




Deixe seu comentário