Campo Grande, 18 de novembro de 2019

Blog do Manoel Afonso

Opinião e atitude no Mato Grosso do Sul

Campo Grande

Campo Grande • 18 set, 2018

Delcídio concorre ao Senado


O ex-senador Delcídio do Amaral registrou no último dia do prazo, nessa segunda-feira (17), a sua candidatura para disputa a uma das duas vagas ao Senado Federal pelo Estado de Mato Grosso do Sul. “Fiz o registro da minha candidatura ao Senado pelo Partido Trabalhista Cristão (PTC) e vamos agora voltar a andar como sempre andei pelo Mato Grosso do Sul, conversando com as pessoas e procurando mais do que nunca ajudar o desenvolvimento econômico e social do nosso Estado”, definiu.

Na opinião de Delcídio, após ser inocentado na Justiça, o seu registro para concorrer a uma vaga no senado é acima de tudo resgatar aquilo que lhe foi tirado injustamente. “Tive 13 anos de mandato como senador da República e honrei meu Estado e a nossa gente. Fui eleito com 826 mil votos, uma votação extraordinária, o que representa perto de 80% dos votos válidos. Tenho muita coisa para fazer pelo meu Estado e pelo País e coloquei minha candidatura de novo, com humildade e vou continuar fazendo política como sempre fiz, andando na rua, conversando com todo mundo, tendo paciência, não correndo do povo, como muitos o fazem. Frequentando os municípios como sempre fiz, distritos, aldeias, quilombolas, assentamentos, e assumindo responsabilidades para ajudar a nossa gente”, declarou Delcídio.

O candidato pelo PTC, Delcídio do Amaral, disse estar consciente das dificuldades de assumir a campanha a menos de 20 dias das eleições, mas disse estar tranquilo, se apresentando na busca de tentar buscar aquilo que lhe foi tirado. E disse: “com tranquilidade e fazendo política como sempre fiz. Não tenho ranço com ninguém, não ataco, estendo as mãos, faço política com generosidade. Acho que esse é o caminho. Essa política rançosa de perseguição vai acabar em Mato Grosso do Sul, eu espero”, comentou, acrescentando que “é preciso mudar a forma de fazer política, de pensar o Estado, fazer com que cresça, gere riquezas, agregue valor à produção, se integre à América do Sul, através dos países vizinhos, aos principais estados da Federação e repense a logística do nosso Estado, gerando recursos para investir em áreas cruciais, como educação, saúde, segurança pública, área social e que são compromissos especialmente do Estado”, conclui.

Delcídio comentou ainda que o PTC formou o que ele definiu como uma chapa “camarão”, sem cabeça, mas lembrou que o partido está alinhado com o projeto do candidato do MDB ao Governo der Ms, Junior Mochi, e trabalha Por essa candidatura. Com relação a eleição presidencial, o Partido Trabalhista Cristão está alinhado com o candidato Álvaro Dias e será seguido o que o partido determinou. Sobre as duas vagas no Senado, na qual ele concorre a uma delas, está tranquilo por ter mais liberdade do que os outros candidatos, pelo fato de o PTC não estar com a candidatura ao Senado na coligação da majoritária.




Deixe seu comentário