Campo Grande, 22 de setembro de 2019

Blog do Manoel Afonso

Opinião e atitude no Mato Grosso do Sul

Campo Grande

Campo Grande • 25 abr, 2019

Deputado Capitão Contar pede manutenção de abono de servidor e cobra explicação de criação de cargos


“Estou aqui lutando para ser justo. Se o Governo diz que não tem orçamento para pagar os servidores, pois a folha está ‘pesada’, e por esse motivo quer retirar o abono que é de R$ 200, porque é apresentado para esta Casa de Leis, um projeto onde cria novos cargos?”, se posicionou o deputado estadual Capitão Contar (PSL), durante a sessão parlamentar desta quinta-feira (25). Servidores públicos foram até a Assembleia Legislativa para questionar a medida do governo estadual em relação ao não reajuste salarial, ocasião em que, os parlamentares receberam do executivo o Projeto de Lei 82/2019 onde cria novos cargos, comissionados, e símbolos de remuneração diferenciados.
“Entendo a necessidade do governo em atender as suas demandas, afinal o Estado chegou ao seu limite prudencial, por isso veio para esta Casa o projeto do PDV (Programa de Demissão Voluntariada), a questão das 8 horas que os servidores terão que cumprir e a agora notícia de um abono de R$ 200 que deve ser cortado. Por outro lado, surge proposta para aumentar os cargos comissionados, cria-se nova estrutura e símbolos de remuneração”, enfatiza o parlamentar.
“Meu compromisso é com a população de Mato Grosso do Sul. Se estamos no limite da folha, concordo que cada um faça sua parcela de sacrifício para conter os gastos e que tenhamos uma economia equilibrada. Mas não concordo que, neste momento, nos apresente um Projeto de Lei que criam escritórios, cargos e aumentam despesas com esses servidores. E como ficam os servidores da saúde? Da educação? Da segurança? Vejam as condições em que nossos bombeiros, policiais civis e militares trabalham. Quatro anos sem aumento e ainda vão perder o prometido abono salarial previsto na Lei 5.173 de 2018, que era válido até 31 de março deste ano. E que, o acordo realizado na época era o de incorporar esse valor no salário dos servidores, a partir deste mês, caso o governo saísse do limite prudencial, o que aconteceu com as contas, mas que não aconteceu com o acordo”.
Comissão
Durante a sessão foi formada uma comissão que vai tratar destes pontos como o governador, levando as reivindicações de cada categoria. O deputado Capitão Contar é um dos titulares a compor este grupo. O encontro com o poder executivo estadual deve ser realizado nesta tarde e um dos pontos que serão apresentados pela Comissão é a manutenção do valor de R$ 200, enquanto as conversas entre o governo estadual e as categorias sobre o reajuste, continuem.
Por: Jucyllene Castilho



Deixe seu comentário