Campo Grande, 22 de setembro de 2019

Blog do Manoel Afonso

Opinião e atitude no Mato Grosso do Sul

Campo Grande

Campo Grande • 25 abr, 2019

Reunião de hoje debaterá estratégias contra feminicídio em MS


A cada duas horas, uma mulher é assassinada no Brasil, o que coloca o País em quinto lugar entre os que mais matam mulheres no mundo. São oito agressões por minuto e cinco estupros por hora. Essas estatísticas motivam o fortalecimento de ações de enfrentamento à violência de gênero. É com essa preocupação que a Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALMS) abre espaço, nesta quinta-feira (25), para a discussão de estratégias contra o feminicídio.

A reunião, proposta pelo deputado Herculano Borges (SD), membro da Frente Parlamentar em Defesa da Mulher, será realizada a partir das 13h, no Plenário Deputado Júlio Maia, na Casa de Leis. Está prevista a participação de representantes de entidades de segurança, da justiça e de universidades, que contribuirão para criação de estratégias para redução dos índices de mortes de mulheres. “Precisamos combater o feminicidio com o desenvolvimento de estratégias de conscientização do agressor, implementação de políticas públicas de prevenção, combate e apoio às vítima”, afirmou Herculano Borges.

De acordo com o “Mapa da Violência 2015: Homicídio de Mulheres no Brasil”, organizado pela Presidência da República, ONU Mulheres, entre outras entidades, há um feminicídio a a cada duas horas. A taxa é de 4,8 – ou seja, de cada 100 mil mulheres, 4,8 são assassinadas. Com esse número, o Brasil está em quinto do mundo em mortes de mulheres. Mato Grosso do Sul tem índice superior ao da média nacional, variando de 5,5 a 6,5.

Ainda de acordo com o documento, as maiores vítimas são as negras. Em dez anos, o número de homicídios de mulheres negras cresceu 54%, passando de 1.864, em 2003, para 2.875, em 2013. No mesmo período, a quantidade de mulheres brancas assassinadas reduziu em 9,8%, de 1.747 para 1.576.

Outras estatísticas ajudam a dimensionar a gravidade do problema. Conforme a 11ª edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública (FBSP, 2017), uma mulher é estuprada a cada 11 minutos no País. O estudo “Mulheres Brasileiras no Espaço Público e Privado”, da Faculdade Paulista de Artes (FPA) e do Serviço Social do Comércio (SESC), mostra que há cinco espancamentos de mulheres a cada dois minutos.

Semana – Na reunião desta quinta-feira, devem ser discutidas também ações relativas ao Dia Estadual e à Semana Estadual de Combate ao Feminicídio, instituída por lei estadual. A data é 1º de Junho, escolhida devido ao primeiro caso de feminicídio registrado em Mato Grosso do Sul. No dia 1º de junho de 2015, Ísis Caroline Santos, de 21 anos, foi assassinada nas imediações do córrego Mutum, em Ribas do Rio Pardo, a 102 quilômetros de Campo Grande.




Deixe seu comentário