Campo Grande, 19 de novembro de 2019

Blog do Manoel Afonso

Opinião e atitude no Mato Grosso do Sul

Cidades

Cidades • 02 nov, 2019

Após rede elétrica ligada postes serão retirados


IMG_6600 (Copy)

A sexta-feira, 1º de Novembro de 2019, é um dia que vai ficar para a história de Campo Grande. Depois de muita expectativa, hoje foi ligada toda a rede subterrânea de média tensão da Rua 14 de Julho, no trecho que está sendo requalificado pelo Reviva Campo Grande. Isso significa que todos os cabos estão ligados, por debaixo da terra, o que possibilitará a retirada dos postes.

“Depois de todos os ensaios feitos com a mais alta tecnologia, e a dedicação de uma grande equipe, foi possível ligar a rede de média tensão. Esse trabalho é um marco no projeto e, a partir dessa etapa, os transformadores serão ligados. Não teve nenhum problema. Todos os ensaios foram aprovados até chegarmos aqui”, afirma o engenheiro eletricista Airton Vargas. O profissional ainda explica que, a partir de hoje, todas as partes de telefonia e cabos já estão subterrâneas e a estimativa é que, dentro de sete dias, os postes começam a ser retirados. “Por questão de segurança, precisamos aguardar esse período ainda com os postes”, diz.

Hoje foi energizado o sistema subterrâneo “sem carga”, ou seja, sem impacto para os clientes. A partir de amanhã, a Energisa começa o trabalho de migração dos clientes do sistema aéreo para o subterrâneo.

Interdição

Por conta do trabalho da Energisa, neste sábado e domingo, toda a extensão da Rua 14 de Julho que está sendo requalificada, será interditada. Haverá interrupção momentânea de energia no período da transição (migração individual de cada cliente). A Energisa orienta que é importante o lojista ficar atento e monitorar a instalação elétrica de seu comércio. Não é necessário retirar os equipamentos das tomadas.

“É uma obra muito importante para o desenvolvimento da capital e o trabalho realizado pela Energisa neste momento garante, de fato, que a transição da rede aérea para a subterrânea aconteça com segurança e agilidade”, pondera o gerente de Construção, Manutnção e Distribuição (DCMD) da Energisa, Fernando Espindula Corradi.

Fotos – Denilson Secreta




Deixe seu comentário