Campo Grande, 18 de agosto de 2019

Blog do Manoel Afonso

Opinião e atitude no Mato Grosso do Sul

Cidades

Cidades • 24 fev, 2019

Pesquisa em Dourados: Marçal lidera


2020 está longe e muita coisa deve acontecer nos bastidores político. No entanto, o levantamento encomendado pelo Diário da Mídia ao Instituto Ranking mostra que resultado das urnas nas últimas eleições em Dourados é um fator marcante para que eleitores citem opção de voto.

O cenário é bem natural, pois a pesquisa mostra o retrato do momento. Os candidatos ainda não estão oficialmente postos, apesar de inúmeras movimentações. Uma coisa é certa; a política não para!

Mesmo que não seja possível cravar qualquer afirmação sobre o pleito de outubro do próximo ano a partir desse levantamento, já conseguimos ver que puverização tendem a favorecer nomes já conhecidos da população.

Às entrevistas foram feitas com moradores com base nos mais recentes dados do IBGE e histórico político/administrativo. O Instituto utilizou o método quantitativo.

ESPONTÂNEA

O Instituto quis saber da população de forma espontânea os nomes que deveriam ser candidatos a prefeito (a) de Dourados no pleito de 2020.

Veja os números:

•  Marçal filho  – 14.60%
•  Barbosinha  – 6.80%
•  Geraldo Resende  – 3.60%
•  Renato Câmara  – 2.40%
•  Délia Razuk  – 1.60%
•  Outros  – 1.20%
•  Branco/Nulo Indeciso  – 69.80%

ESTIMULADA

•  Marçal filho –  24.20%
•  Barbosinha – 12.40%
•  Geraldo Resende – 8.40%
•  Renato Câmara – 7.80%
•  Délia Razuk – 4.80%
•  Murilo Zauith – 3.20%
•  Branco/Nulo Indeciso  – 39.20%

REJEIÇÃO

•  Délia Razuk – 21.40%
•  Murilo Zauith – 15.60%
•  Geraldo Resende – 11.20%
•  Renato Câmara – 6.40%
•  Barbosinha – 4.40%
•  Marçal filho –  2.60%
•  Branco/Nulo Indeciso  – 38.40%

CÂMARA MUNICIPAL

Por último, o Instituto Ranking quis saber da população de forma espontânea, nomes que deveriam ser candidato a vereador (a) em 2020 em Dourados.

Veja os números:

A pesquisa foi realizada no dia 15 e 16 de fevereiro, onde foram realizadas 500 entrevistas em Dourados. Para um intervalo de confiança de 95% e um tamanho da amostra a margem de erro máxima estimada foi de 3.8 pontos percentuais, para mais ou para menos. Fonte – Diário da Mídia

* Esta pesquisa esta em conformidade com a Justiça Eleitoral. Art. 33 da Lei nº 9.504/1997 e TSE nº 23.549/2017




Deixe seu comentário