Campo Grande, 22 de novembro de 2019

Blog do Manoel Afonso

Opinião e atitude no Mato Grosso do Sul

Artigos

Artigos, Cidades • 29 abr, 2018

RESPIROS


por Yuri Vasconcelos Silva

 

Há uma certa obsessão nas cidades em ocupar vazios. Ocupem este lote cheio de mato. Ocupem este edifício abandonado. Encham aquela piscina de água. Preencham aquela empena branca com grafites. Sempre pensando no uso e função voltados ao bicho homem. Desse jeito, quadra a quadra, edifícios se erguem ligeiros sobre os antigos ou sobre os vazios. Envidraçados e refletivos, cheios de luzes, ruídos. As pessoas se encontram e se concentram em poucos metros quadrados, dependuradas em lajes, rindo alto, comendo e discutindo. Há mais guerra do que afeto nestes pavimentados dias.

E o espaço em branco das cidades? O amortecimento entre tantas paredes e gente? Há beleza num terreno cheio de mato. Não se trata apenas a ausência temporária da civilização. São outros seres e outros mundos. Flores vagabundas visitadas por borboletas ocasionais. Vento alisando o matagal. Refúgio de pardais e outros pássaros. Merecido descanso para o olhar aborrecido de tanto vidro e concreto mal ajambrado. Se na música o silêncio bem colocado compõe boas sinfonias, na poesia o espaço em branco é tão necessário quanto o escrito, por que enfiar construção ou gente em todos os suspiros da cidade?

Fonte – Blog do Zé Beto




Deixe seu comentário