Campo Grande, 11 de julho de 2020

Blog do Manoel Afonso

Opinião e atitude no Mato Grosso do Sul

Crônicas

Crônicas • 25 jan, 2020

Mantenha um tigre no seu barco (Manoel Afonso)


 

Esquisito o título, mas você entenderá. Fui assistir ao filme “As Aventuras de PI”, indicado ao Oscar inclusive. Fora as imagens formidáveis em ‘3D’, o enredo mostra a luta pela sobrevivência do garoto naufrago, tendo como companhia de bordo  na pequena embarcação à deriva no Pacífico, nada menos que um ‘tigre de Bengala’.

Em tempo: nosso herói perdera a família num naufrágio e  safou-se no barco salva-vidas junto com uma zebra, uma hiena, um orangotango e o tigre, que seu pai  levava para vender no Canadá. A luta pela vida foi cruel naquele espaço comum, mas a inteligência humana e a força animal prevaleceram sobre as espécies mais fracas e  as condições adversas em alto mar. Restaram o garoto e o tigre, que acabaram salvos.

Imagine: ao jovem o desafio de ‘conviver’ com o animal, sem descuidar do barco e dos perigos constantes como tubarões, tempestades, sede, fome, frio noturno e a solidão. Diferentemente portanto do personagem ‘Chuk’ de Tom Hanks em “O Naufrago” que teve como ‘companhia’ por 4 anos numa ilha deserta, a foto da mulher e a bola de vôlei (Wilson) que o motivaram contra o desespero. Quem assistiu lembra.

Esse enredo merece ser comparado ao nosso dia a dia, onde o barco  de nossas vidas – muitas vezes sem rumo – ao meio as turbulências, leva-nos  quase naufragar, ‘entregando os pontos’, se não tivermos um ‘tigre’ a  desafiar nossa inteligência, emoções e  principalmente a motivação pela vida.

Lembro que os tigres estão aí soltos no cotidiano: os desafios profissionais, da saúde, familiares e tantos outros imprevisíveis na extensa lista. Melhor do que correr deles covardemente por desmotivação, é mantê-los bem visíveis para assegurar de que estamos no caminho certo. Quando vamos ao médico, por exemplo, estamos tendo a consciência de que podemos ser vítimas dos tigres do câncer e outras doenças.

Vida sem tigres, sem desafios e derrotas inclusive seria extremamente monótona e infeliz. Felicidade é também a necessidade de combater com tesão esses tigres que nos rodeiam. Bobagem: não existe a tal  felicidade com data de validade apregoada nas propagandas.  Aliás, a obsessão pela felicidade futura impede às vezes de se ver e sentir o quanto somos felizes hoje.

E no arremate, duas frases  para reflexão: do Gal Maximus no filme O Gladiador: “Tudo aquilo que você faz hoje, realmente ecoará pela eternidade”; e da jornalista Eliane Brum: “As próximas horas serão as mais importantes de sua vida”.

 Cuide do seu tigre!




Deixe seu comentário