Campo Grande, 20 de setembro de 2020

Blog do Manoel Afonso

Opinião e atitude no Mato Grosso do Sul

Política

Política • 03 ago, 2020

Barbosinha mostra receita doméstica da boa gestão


Entrevistado na série que é realizada, com participação igualitária oferecida a todos os eventuais futuros candidatos a prefeito de Dourados pela rádio Cidade FM101 em Dourados, o deputado estadual Barbosinha (DEM), pré-candidato às eleições de novembro, utilizou nesta segunda-feira (3) o exemplo da ‘receita doméstica’ para sinalizar os rumos de gestão que pretende imprimir nesse projeto.

“Não adianta os demais pré-candidatos anunciarem grandes obras e projetos se nós não recorrermos àquele exemplo da dona de casa. Se você tem uma receita de mil reais, não vai poder gastar mais do que 800, no máximo 900 reais por mês, porque do contrário não sobra nada pra você investir em algum tipo de melhoria na casa”, ensinou.

Barbosinha disse aos radialistas Antônio Coca e Lia Nogueira que tem “plena dimensão” da realidade administrativa do Município. “Dourados vive uma crise sem precedentes, em termos de gestão”, reconheceu, mas disse que se preparou para esse momento, como prefeito, diretor da Sanesul e secretário de Justiça no Estado, e agora, no segundo mandato de deputado estadual, vai buscar a interlocução com as bancadas estadual e federal, a construção de um bom diálogo com o Governo Federal (citou a ministra Tereza Cristina) e no Estado (através do governador Reinaldo Azambuja e o vice Murilo Zauith) para isso.

“Dourados precisa recuperar a condição de município pujante que já viveu nas décadas de 70, por exemplo, com o saudoso João Totó Câmara, nos anos 80 com o prefeito inovador José Elias Moreira, depois um dos três deputados constituintes de Dourados em Brasília, quando eu fui prefeito; para isso, vamos procurar todos os deputados e senadores que foram muito bem votados aqui para nos ajudar nessa construção”, anunciou.

 

“Isso tudo está muito associado às nossas escolhas e aos princípios e valores morais que levamos da nossa vida para a administração pública, é o ‘diga-me com quem andas que eu te direi quem és’, estar bem acompanhado, escolher bem, é o básico”, pregou Barbosinha, destacando a capacidade do gestor de identificar e descobrir os talentos que existem entre os servidores públicos. “Valorizar quem trabalha”.

 

O pré-candidato mostrou números de quem conhece realmente o desafio que terá pela frente. “Não adianta dizer que vai resolver o problema da saúde, da educação, da cultura, do esporte, do lazer, da iluminação pública, se não transformar a gestão com estrutura superavitária. No ano passado Dourados arrecadou mais de R$ 900 milhões e não tivemos 20% de investimentos, a receita é toda investida com o custeio”.

Barbosinha apontou, entre os desafios para o futuro prefeito, a conclusão do Hospital Regional, o Hospital da Mulher e da Crinaça, o Centro de Diagnóstico Médico, e obras estruturantes como a duplicação da MS 156 até o Distrito Industrial, a avenida Coronel Ponciano, a travessia da BR 163, duplicação do trecho entre os Trevos da Bandeira até o trevo de saída para Laguna Carapã na BR 163, “e a consequência de uma boa gestão econômico-financeira que a dona-de-casa conhece bem é que irá propiciar isso em Dourados”.

“Temos que pensar numa Dourados estruturante, com boa saúde, trânsito fluindo, espaços para as pessoas caminharem e andar de bicicleta, parques preservados, pensar no Meio Ambiente, a recuperação das praças esportivas [ele contou 17 ginásios cobertos, sete quadras de esportes e 25 campos de várzeas na cidade], não podemos ficar discutindo buraco, limpeza, iluminação pública, isso é o básico”, observou.




Deixe seu comentário