Campo Grande, 18 de novembro de 2019

Blog do Manoel Afonso

Opinião e atitude no Mato Grosso do Sul

Política

Política • 25 jun, 2019

De casa em casa, agentes vacinam cães e gatos contra a raiva


Os agentes estão sempre uniformizados e se o morador se sentir inseguro de abrir o portão para a dupla, pode ligar no 3314-5000.
Os agentes estão sempre uniformizados e se o morador se sentir inseguro de abrir o portão para a dupla, pode ligar no 3314-5000. –
 Durante toda a campanha, os agentes do CCZ percorrerão as sete regiões urbanas do município fazendo a vacinação. O servidores devem estar uniformizados e portando a identificação funcional. Nos imóveis fechados ou sem a presença dos moradores, os agentes estão deixando um informe, reforçando a importância da vacinação e orientando os moradores a procurarem diretamente o órgão para imunizar os animais.

Segundo a coordenadora do CCZ, Iara Helena Domingues, a única forma de manter o controle da doença em Campo Grande é com a vacinação dos animais. As doses são gratuitas e protegem os animais contra a raiva, que é fatal.

Agentes estão percorrendo casas no bairro Nova Lima. (
Agentes estão percorrendo casas no bairro Nova Lima.

“Mais uma vez chamamos a atenção da população sobre a importância de manter os animais protegidos contra a raiva. Lembrando que o serviço é gratuito e oferecido o ano todo no CCZ”, disse.

A coordenadora ressalta que  todos os cães e felinos com mais de três meses devem receber as doses, inclusive cadelas e gatas prenhas ou em lactação. Na campanha do ano passado (2018),  foram 101.778 cães e 34.900 gatos vacinados.

Consciência

A dona de casa Marcia Ramires Echeveria, 65 anos, foi uma das tutoras que receberam a equipe do CCZ na tarde desta segunda-feira no Bairro Nova Lima. Dona de três cães, dois machos e uma fêmea, a dona de casa sabe da importância de manter os seus animais protegidos.

menino auxílio agentes na vacinação do animal da família.
Menino auxílio agentes na vacinação do animal da família.

“Todo ano eu faço de tudo para vacinar estes cachorros. A gente tem que aproveitar que é de graça,ai evita o pior. A gente aqui tem muito apego aos bichinhos. Não dá pra bobear (sic)”, complementa.

Casos

O último caso de raiva humana no Município foi registrado em 1968. Já em cães e gatos, o último caso ocorreu 1988, onde após 23 anos, ocorreu um caso isolado em 2011 de raiva canina, cujo cão adquirira a doença por meio do contato com um morcego contaminado com o vírus.

Incurável nos animais e fatal em 100% dos casos, a doença é uma zoonose e, portanto, também pode afetar os seres humanos. A raiva é letal e o vírus pode ser transmitido para os seres humanos a partir da mordida, lambida ou machucados causados por mamíferos contaminados. Já o contato com a pele do animal não oferece riscos.

Atendimento no CCZ

Os donos de animais indicados para vacinação também podem levá-los até o CCZ – localizado Avenida Filinto Muller, 1601 – Vila Ipiranga. O centro funciona todos os dias da semana, das 7h às 21h, sendo que sábados, domingos e feriados, a abertura ocorre uma hora mais cedo.

Foto Michel Faustino – Sesau




Deixe seu comentário