Campo Grande, 13 de agosto de 2020

Blog do Manoel Afonso

Opinião e atitude no Mato Grosso do Sul

Política

Política • 25 abr, 2019

Lenilde Ramos eleita para Academia Sul-Mato-Grossense de Letras


A escritora, musicista e ativista cultural Lenilde Ramos é a nova imortal da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras. Ela foi eleita, em assembleia realizada ontem, para ocupar a cadeira nº 31, na sucessão do acadêmico Hildebrando Campestrini, falecido em novembro de 2016.

Além de Lenilde, o escritor e procurador aposentado José Carlos de Oliveira Robaldo e a escritora e professora Marly Teixeira Morettini também se inscreveram e disputaram a cadeira. Por maioria de votos, Lenilde foi eleita, será diplomadaa e tomará posse na Academia, a mais alta e representativa entidade literária do Estado.

Lenilde Ramos nasceu em Campo Grande em 1952 e já esteve em vários países, a convite, mostrando sua arte e divulgando aspectos culturais do Estado. É escritora, instrumentista e compositora, autora das obras literárias “História sem nome – Lembranças de uma menina quase gêmea”, “Storia senza nome” (edição italiana), “Imagens e Palavras” e  “Do Baú da Tia Lê – Crônicas”, além de integrar capítulo do livro “Vozes da Literatura” (FCMS, 2014), apresentando aspectos biográficos do escritor e historiador Paulo Coelho Machado.

No prefácio do livro da nova imortal, HIstória sem Nome, escritor membro da ASL Valmir Corrêa descreve Lenilde como uma mulher de muita coragem. “Lenilde é uma mulher de muitos talentos (na música, na poesia, na interpretação e outras artes) e não precisa provar isso para mais ninguém”, diz.

ACADEMIA SUL-MATO-GROSSENSE DE LETRAS

com quarenta cadeiras vitalícias, a Academia Sul-Mato-Grossense de Letras foi fundada no dia 30 de outubro de 1971 e mantém ao longo da sua existência uma atuação marcante voltada para a defesa do vernáculo e o cultivo da arte literária e todas expressões artísticas, zelando e incentivando as derivações da cultura nacional e estadual.

A nova sede está situada na Rua 14 de Julho nº 4653, em Campo Grande.

Correio do Estado- Glaucia Vaccari – com assessoria




Deixe seu comentário