Campo Grande, 13 de dezembro de 2018

Blog do Manoel Afonso

Opinião e atitude no Mato Grosso do Sul

Política

Política • 06 abr, 2018

Londres acompanha Grazielle no PSD e inicia busca por aliados no interior de MS


Ex-deputado afirma que começa na próxima semana a percorrer as bases visando a atrair reforços para seu novo partido

Humberto Marques

Campo Grande News

 

Londres começa na próxima semana a realizar trabalho nas bases para atrair reforços ao PSD. (Foto: Arquivo)

Ex-deputado estadual, Londres Machado anunciou nesta quinta-feira (5) sua filiação no PSD e anuncia, para a próxima semana, um trabalho nas bases pelo interior do Estado a fim de mobilizar seu grupo para a movimentação partidária. Londres disse seguir a filha, a deputada estadual Grazielle Machado, para dar suporte ao seu projeto político, depois de permanecer por anos à frente do PR –partido o qual deixou em meio a imposições da direção nacional envolvendo rumos nas eleições deste ano em Mato Grosso do Sul.

“Estou filiado ao PSD, partido que a Grazielle se filiou após analisar qual seria o melhor projeto para ela”, declarou o ex-deputado. Londres deixou em aberto a possibilidade de protagonizar algum projeto político, embora pondere não ser sua intenção para 2018. “Em política sempre há fatos novos, mas gostaria de não disputar [a eleição]”.

Definida a filiação, o ex-deputado afirma que, agora, dará início a um trabalho nas bases de seu grupo político, a fim de buscar reforços para o PSD. “A filiação ocorreu ontem, agora vou começar a correr as bases, os municípios, onde temos aliados”.

Debandada – O PR de Mato Grosso do Sul sofreu um processo de implosão no início da semana. Como apurou o Campo Grande News, a Direção Nacional orientou que o partido se alinhe ao MDB no Estado –integrando o projeto capitaneado pelo ex-governador André Puccinelli, que é pré-candidato ao governo estadual– e defendesse a candidatura do ex-deputado federal e ex-secretário de Estado de Obras, Edson Giroto, à Câmara dos Deputados.

No ano passado, Giroto anunciou que não disputaria as eleições. Ele é um dos principais investigados na operação Lama Asfáltica, que apura desvios de recursos até 2014 por meio de superfaturamento e fraudes em licitações no governo estadual.

Até então, o PR negociava uma aliança com o PSDB. Paulo Corrêa, deputado estadual, afirmou que houve uma “imposição de cima para baixo” da cúpula nacional republicana, culminando no anúncio de que Londres deixaria o comando do PR. O parlamentar também se desfiliou, migrando para o PSDB.

Londres já havia antecipado que deixaria o PR, porém, levaria consigo o grupo formado por oito prefeitos, 54 vereadores e ex-prefeitos.




Deixe seu comentário