Campo Grande, 18/07/2024 10:59

Blog do Manoel Afonso

Opinião e atitude no Mato Grosso do Sul

Política

Política • 28 jun, 2024

Comitiva do Governo Federal desembarca em Corumbá para sobrevoar Pantanal


 

 

As ministras do Meio Ambiente e Mudança do Clima, Marina Silva, e do Planejamento e Orçamento, Simone Tebet, desembarcaram em Corumbá nesta sexta-feira (28), acompanhadas pelo secretário executivo do Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional, Valter Ribeiro. A comitiva, recebida pelo governador Eduardo Riedel (PSDB), realizará um sobrevoo pela região pantaneira para avaliar os impactos das queimadas.

A aeronave do Governo Federal pousou no aeroporto de Corumbá por volta das 9h30. Após a chegada da comitiva, uma aeronave KC-390 da Força Aérea, com capacidade para despejar 12 mil litros de água em focos de incêndio, também aterrissou na cidade.

O sobrevoo de helicóptero pela área afetada deve durar 45 minutos. Em seguida, as autoridades visitarão a base da Marinha e as instalações do PrevFogo, uma base estratégica do Ibama para o combate a incêndios. Posteriormente, seguirão até o quartel do Corpo de Bombeiros para inaugurar uma sala de monitoramento dos focos de incêndio. Esta nova sala será coordenada pelo Governo de Mato Grosso do Sul e funcionará de forma semelhante ao Centro Integrado de Comando e Controle Estadual (Cicoe) em Campo Grande.

Além de inaugurar a sala de monitoramento, as autoridades vão apresentar um plano de combate aos incêndios que está próximo de completar 90 dias. O governo de Mato Grosso do Sul também apresentará suas demandas ao Governo Federal, buscando fortalecer as ações contra as queimadas no Pantanal.

Nos últimos dias, a ministra Marina Silva tem feito muitas críticas em relação ao Pantanal. Citou que municípios que mais desmatam são as que mais sofrem com focos de incêndio no momento.

Também voltou a dizer que o fogo na região é provocado, principalmente, por fazendeiros. “No caso do Pantanal estamos vendo os incêndios que deixam todos nós estarrecidos. Queria dizer que 85% desses incêndios estão acontecendo dentro de terra privada. Nesse momento, não temos incêndios em função de ignição natural. Todos eles são por ação humana, seja por desmatamento, seja por queimada”.

Marina comentou durante a semana que o bioma está “diante de uma das piores situações já vistas”, algo “fora da curva com relação a tudo o que já se conhece”. (Foto Alex Machado)  – Fonte – Campo Grande News




Deixe seu comentário