Campo Grande, 17/01/2022

Blog do Manoel Afonso

Opinião e atitude no Mato Grosso do Sul

Política

Política • 03 dez, 2021

História da imprensa em Corumbá


 

Após o término da Guerra da Tríplice Aliança, a Vila de Santa Cruz de Corumbá iniciou um período de intenso desenvolvimento econômico, social e político. Surgiram as condições para a expansão de diferentes instituições culturais, ampliando o número de escolas, colégios, associações, livrarias, entre outras. Foi nesse momento que teve início também a história da imprensa corumbaense, que nasceu no dia 18 de janeiro de 1877, com o lançamento do jornal O Iniciador. Título esse escolhido para simbolizar o início de um novo tempo na arrojada Corumbá daqueles dias, que hoje se tornou na quarta cidade mais populosa do Mato Grosso do Sul.

Desse modo, é oportuno conhecer um pouco mais sobre os grandes momentos da trajetória da imprensa regional, analisando fontes e arquivos que preservam alguns exemplares dos vários jornais, revistas e almanaques que circularam, muito além dos limites geográficos do sul de Mato Grosso. Um dos arquivos que permite fazer esse retorno ao passado está inserido na Hemeroteca Digital da Biblioteca Nacional, onde buscamos imagens de algumas edições do periódico cima mencionado.

O jornal pertencia à firma Serra & Guimarães, formada pelo redator, capitão Silvestre Antunes Pereira da Serra, e pelo diretor Manuel Antônio Guimarães, um experiente tipógrafo português que dominava o ofício de impressor e a arte de compor uma chapa com os tipos móveis. Outros jornais da época, impressos em Cuiabá, tinham uma conotação muito mais política partidária do que o perfil comercial que predominava no jornal corumbaense. Além de noticiar eventos sociais, políticos e religiosos é possível identificar a presença extensiva de matérias de interesse dos comerciantes e industriais, voltadas para investidores ou proprietários de lojas e importadoras locais.

Quatro meses após o seu lançamento, O Iniciador já estava sendo usado como fonte de reprodução de notícias do sul de Mato Grosso em outros jornais do país. Esse é o caso de uma matéria publicada no Jornal de Recife, em 7 de maio de 1877, mencionando tratar-se de notícia publicada originalmente no referido jornal de Corumbá. A mais antiga edição que conseguimos acessar para escrever essas linhas, circulou dois anos após o lançamento do jornal, ou seja, no dia 18 de janeiro de 1879, na qual consta que o periódico estava entrando no seu 3º ano de publicação.

O Iniciador foi criado num momento de progresso da região de fronteira. No ano seguinte, a histórica vila foi elevada à categoria de cidade. O mesmo clima começou a ser irradiado para outras localidades do sul de Mato Grosso, como é o caso do arraial de Santo Antônio do Campo Grande, fundado em 1875 e elevado à categoria de distrito de paz e freguesia, quatorze anos depois, de acordo com a Lei nº 792, de 23 de novembro de 1889, aprovada pela Assembleia Legislativa Provincial do Mato Grosso.

Além do seu pioneirismo na imprensa regional, Corumbá passou a ser o principal polo comercial da fronteira, porto de passagem obrigatória nas longas viagens fluviais feitas pelo rio Paraguai e o grande empório de abastecimento do Mato Grosso. Essa condição ficou alterada, depois de 1914, com a inaugurada da Estrada de Ferro Itapura – Corumbá, que depois, passou a ser a Noroeste do Brasil. Para finalizar, a história dos primórdios da imprensa regional, um século antes da instalação do Mato Grosso do Sul, é uma excelente referência para conhecer vilas e cidades daquele tempo que se transformaram em importantes em pilares do arrojado Estado dos nossos dias.

Luiz Carlos Pais é Professor Aposentado da UFM

Fonte – Diário da Mídia




Deixe seu comentário