Campo Grande, 15/07/2024 02:23

Blog do Manoel Afonso

Opinião e atitude no Mato Grosso do Sul

Política

Política • 19 jun, 2024

Mochi fala de soluções no combate ao incêndio no Pantanal


O deputado  estadual Junior Mochi (MDB) abordou na tribuna da Alems (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) nesta manhã (19) a urgência em combater os focos de incêndio no Pantanal, que atingiram níveis altíssimos neste mês.
Júnior Mochi (MDB) fala na tribuna da Alems (Foto: Alems)

“O fogo no Pantanal está sem controle, dados apontam que é o pior período registrado em relação aos focos de incêndio no mês de junho. Em 13 dias, o índice foi 472% maior que ao longo dos 30 dias de junho do ano de 2020, considerado o maior incêndio registrado até então, e a situação se agrava dia após dia. Foram destruídos mais de 135,6 hectares, o maior incêndio que se tem registro”, frisou.

“Essa situação é alarmante, aprovamos aqui o projeto para a Lei do Pantanal, e temos que atuarmos para que haja alguma forma de controle. São mais de 240 focos. Que junto à Comissão de Meio Ambiente chamemos atenção, busquemos todas as parcerias necessárias para enfrentar a situação e termos ações preventivas para que isso não volte acontecer. É preciso identificar as causas, para um diagnóstico preciso a busca de alternativas técnicas viáveis para que o fogo não absorva os hectares do Pantanal. Estamos falando daquele que é o bioma do Patrimônio Natural da humanidade”, explicou Junior Mochi.

Junior Mochi ainda ressaltou que houve informações sobre autorizações concedidas para o chamado “fogo controlado”. “Tivemos informações que alguns focos vêm de autorizações concedidas para o chamado fogo controlado. O órgão responsável precisa identificar as causas para conter o avanço. E a Casa de Leis é a representante do povo e deve cobrar quem tem a responsabilidade pelo combate, que seja feito água e acabe com os incêndios esse ano”, concluiu.

O deputado Pedro Kemp (PT) também falou sobre o avanço do fogo no Pantanal. “Vemos nos meios de comunicação a preocupação, avanço  do fogo no Pantanal, mas há denúncias que existe muito fogo provocado, isso precisa ser investigado e as pessoas responsabilizadas. Não podemos ter esse tipo de situação em época de seca e falta de chuva”, ressaltou.

O deputado Renato Câmara (MDB) é o presidente da Comissão do Meio Ambiente e convocou todos para uma reunião na próxima semana.

“Esse é um tema recorrente, especificamente esse ano nos chama atenção pelo tamanho e número de focos de incêndio no Pantanal. Também temos preocupação com a diminuição do nível de água no Rio Paraguai e no rio Miranda. É necessário regulamentar a Lei do Pantanal e colocá-la em prática. Aí a gente tem resultados para impedir focos de incêndio com prejuízos gigantes. Convido todos os deputados a participar no Centro de Controle do Fogo, com a presença de secretários, brigadistas, para apresentações de informações técnicas, encaminhamentos e futuras ações no combate aos incêndios no Pantanal.

Sobre o assunto, o deputado e presidente da Casa, Gerson Claro (PP), declarou que a agenda convocada por Renato Câmara tinha sido confirmada nesta manhã (19).

“O pedido que o presidente da Comissão de Meio Ambiente fez, deputado Renato Câmara, já tinha sido confirmado hoje cedo. Reitero o convite, mais uma vez, dia 25 de junho, para tratar do assunto das queimadas no Pantanal, às 16h30, no Centro de Controle do Fogo”, frisou.

O deputado Coronel David (PL) destacou que é necessário ação urgente do Governo Federal. “São mais de 400 mil hectares queimados no Pantanal, o Governo do Estado já investiu mais de R$ 50 milhões no combate. Temos apenas um avião para jogar água. Sinto falta de uma providência do Governo Federal. Nosso Pantanal está pegando fogo, precisando de recursos. Sugiro que essa Casa tome uma medida em relação a isso, e que nessa reunião, sejam exigidos os pontos avançados tratados e combatidos nesse momento, e para que serve uma tecnologia de detectar um incêndio se não temos logística para combater isso?”, questionou.




Deixe seu comentário