Campo Grande, 23/06/2024 08:30

Blog do Manoel Afonso

Opinião e atitude no Mato Grosso do Sul

Política

Política • 07 jun, 2018

EDUCAÇÃO NO CAMPO Pedro Chaves conquista ensino alternado para alunos de áreas rurais


Sobre a proposta de alternância, ele explicou que o método consiste em alternar dias em salas de aula e outros de ensino no campo

Criada por camponeses da França em 1935, a metodologia da Pedagogia de Alternância objetiva evitar que os filhos gastassem a maior parte do dia no caminho de ida e volta para a escola ou que tivessem de ser enviados de vez para morar em centros urbanos – Divulgação

O senador Pedro Chaves (PRB/MS) aprovou nesta terça-feira (05), na Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado, o Projeto de Lei Complementar (PLC 184/2017) que inclui na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, o uso da chamada Pedagogia da Alternância nas escolas localizadas em áreas rurais, onde o transporte escolar é difícil e a maioria dos pais trabalha no campo. “A distância e o acesso precário prejudicam muitos alunos de áreas rurais que querem estudar ou dar continuidade aos estudos”, afirmou o senador.

Sobre a proposta de alternância, ele explicou que o método consiste em alternar dias em salas de aula e outros de ensino no campo. “Durante duas semanas os estudantes terão que estar em sala de aula aprendendo disciplinas regulares do ensino fundamental e médio, como português e matemática, além de conhecimentos e técnicas voltadas para a agropecuária. Na quinzena seguinte, o aluno pode colocar em prática o que aprendeu em atividades no campo, de preferência na propriedade rural da própria família”.

Criada por camponeses da França em 1935, a metodologia da Pedagogia de Alternância objetiva  evitar que os filhos gastassem a maior parte do dia no caminho de ida e volta para a escola ou que tivessem de ser enviados de vez para morar em centros urbanos. No Brasil, a iniciativa chegou com uma missão jesuíta, no Espírito Santo, em 1969 e logo se espalhou por 20 estados, em áreas onde o transporte escolar é difícil e a maioria dos pais trabalha no campo.

Nos locais onde já há essa iniciativa Pedro Chaves destacou os resultados positivos obtidos pela União Nacional das Escolas das Famílias Agrícolas do Brasil (Unefab) e das Associações Regionais das Casas Familiares Rurais (Arcafar). “No país  já há 270 instituições que adotam o modelo, atendendo a cerca de 17 mil estudantes. Isso é um dado muito importante que nos mostra o quanto não podemos engessar as escolas, limitando-as a padrões tradicionais, que muitas vezes também promovem evasão, repetência e exclusão”, declarou.




Deixe seu comentário