Campo Grande, 21/05/2024 12:42

Blog do Manoel Afonso

Opinião e atitude no Mato Grosso do Sul

Política

Política • 13 maio, 2024

Presidente do TCE-MS recebe comissão do Fórum Permanente pela Paridade Institucional


O presidente do Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul, conselheiro Jerson Domingos, recebeu na manhã desta segunda-feira, 13 de maio, integrantes do Fórum Permanente pela Paridade Institucional e Política das Mulheres. A conselheira substituta do TCE-MS, Patrícia Sarmento, também participou da reunião.

O 2º Congresso Nacional e Estadual Mulheres pela Paridade, com data marcada para ser realizado nos dias 27 e 28 de junho, no Centro de Convenções Arquiteto Rubens Gil de Camillo, foi a pauta do encontro que reuniu no gabinete da presidência representantes de órgãos participantes do Fórum Permanente. Nesta segunda edição, o congresso traz como tema principal “Igualdade, Paridade e Democracia”.

O TCE-MS integra o Fórum Permanente, juntamente com outras instituições, por meio do Termo de Cooperação, assinado no dia 4 de agosto de 2023, durante a primeira edição do congresso.

Conforme explica a subsecretária de Políticas Públicas para as Mulheres de Campo Grande e coordenadora do Fórum, Carla Charbel Stephanini, a parceria do Tribunal de Contas, sob a presidência do conselheiro Jerson Domingos, tem sido fundamental para que a discussão sobre a paridade de gênero nas instituições seja ainda mais difundida em toda a sociedade e entre as instituições públicas e privadas.

“Discutir a paridade entre homens e mulheres nos espaços de poder e de decisão, reconhecendo as grandes contribuições que as mulheres dão à nossa sociedade nas diversas áreas de atuação, é o objetivo do congresso. E, compondo o Fórum, o Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul dá ainda mais expressão a esse trabalho, quando nos apoia em nossas iniciativas”, destaca Carla Stephanini.

Como representante do TCE-MS na comissão do Fórum Permanente pela Paridade Institucional e Política das Mulheres, a conselheira substituta Patrícia Sarmento dos Santos, destaca a importância da participação da Corte de Contas no segundo congresso.

“Neste ano, além de apoiar o congresso, o Tribunal de Contas se faz presente apoiando a iniciativa pela paridade de gênero, apoiando a questão das mulheres em cargos de liderança. E dessa vez, no congresso, haverá a participação de uma integrante do sistema Tribunal de Contas, que vai debater sobre a questão da paridade de gênero nas carreiras públicas. Serão dois dias [no congresso] de discussões, e a gente busca que seja cada vez mais enriquecido, que seja discutido e que a gente possa de fato, alcançar essa paridade nas carreiras públicas, nas empresas da iniciativa pública e privada, no terceiro setor, para que as mulheres possam realmente alcançar a sonhada paridade de gênero”, conclui Patrícia Sarmento.

Participaram também da reunião, a promotora Clarissa Carlotto Torres (MPMS), Kátia Simone Maia dos Santos (TRE-MS), Larissa Marques (OAB-MS), e a cerimonialista do congresso, Ticiana Contis.

O 2º Congresso Nacional e Estadual Mulheres pela Paridade conta com a correalização dos seguintes parceiros: Subsecretaria de Políticas Públicas para Mulheres de Campo Grande-MS; Ministério Público (MPMS); Ministério Público do Trabalho da 24ª Região; Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS); Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região; Tribunal de Justiça (TJMS); Procuradoria-Geral do Estado; Defensoria Pública; Associação Nacional dos Procuradores dos Estados e do DF; Associação dos Magistrados de MS (AMAMSUL); Associação Sul-Mato-Grossense dos Membros do Ministério Público (ASMMP-MS); Associação das Defensoras e Defensores Públicos de MS (ADEP-MS); Associação Brasileira de Mulheres de Carreira Jurídica (ABMCJ); Associação dos Delegados de Polícia do Estado de MS (ADEPOL-MS); Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional de Mato Grosso do Sul (OAB-MS); Conselho Regional de Odontologia; Conselho Regional de Engenharia e Agronomia; Conselho de Arquitetura e Urbanismo; União de Advogadas do Brasil; Conselho Municipal dos Direitos da Mulher de Campo Grande-MS; ONG Paridade de Verdade; Virada Feminina, e Faculdade INSTED – Instituto Avançado de Ensino Superior e Desenvolvimento Humano.

POLÍTICA

TCE




Deixe seu comentário