Campo Grande, 18 de novembro de 2019

Blog do Manoel Afonso

Opinião e atitude no Mato Grosso do Sul

Política

Política • 19 ago, 2019

Dons sagrados (artigo-Frei Venildo Trevizan)


No coração de cada ser humano, há algo que impulsiona a algum objetivo na vida. Triste será aquele que não conseguir vislumbrar dons e valores suficientes para a realização plena de si mesmo. Triste e infeliz será a vida de quem se acomodou e não alimenta algum sonho, não consegue elaborar alguma proposta plausível e não vê perspectivas pela frente.

Esse será alguém perdido à beira do caminho, aguardando, talvez, algum milagre que faça surgir algo, ou alguém que preencha o vazio e satisfaça os anseios. Não será fácil. Não serão muitas as opções, pois tudo depende de um esforço muito pessoal. Não se pode esperar que algo caia do céu e transforme tudo a seu favor.

Por pobre que seja, algo de bom haverá em seu coração. Por fraco que seja, sempre haverá alguma força que o reerga. Por limitado que se sinta, sempre haverá uma possibilidade em ser feliz. Não poderá entrar pelo caminho da lamentação ou do desânimo. Sempre haverá a possibilidade de superar-se e conquistar algum espaço honroso na comunidade.

Os dons são muitos. E são sagrados. Cada qual possui tantos quantos se façam necessários na realização pessoal, seja qual for sua escolha,  seja qual for sua proposta de vida. Uns usam seus dons na arte, outros na ciência, outros em alguma filosofia, outros na elaboração de  meios para uma vida mais saudável e melhor, outros ainda na administração dos bens materiais e dos bens públicos.

Existem homens e mulheres agraciados por dons espirituais. São pessoas de qualquer nível social, ou econômico, que renunciam aos bens materiais em favor dos bens espirituais. São pessoas de um coração enormemente generoso. Colocam seus dons à disposição de Deus. Nada querem para si. São pessoas sábias e humildes, atenciosas e generosas.

O mundo não entende essas atitudes, pois está envolto em interesses políticos e econômicos. Alimenta-se de ganância e prepotência. E quem se consagra à vida religiosa desafia essa postura da sociedade. E essa escolha se torna um protesto vibrante aos interesses materialistas. Questiona a vida cômoda e interesseira de tantos e tantas que pensam apenas em privilégios e mordomias.

Esses homens e mulheres consagrados são seres humanos tanto quanto os demais. São frágeis e carregados de limitações e pecados. São muito conscientes disso. Não escondem suas fraquezas. Assumem e se colocam  disponíveis acolhendo os pobres e os doentes, oferecendo-lhes carinho, amor e esperança.

Isso mesmo! São seres humanos com um coração divino. São seres pecadores com uma alma iluminada. São seres limitados, mas com a mente transparente irradiando alegria e paz.

Cada qual tem como objetivo determinar seu lugar nesse universo de sonhos e de esperanças, de medos e de confianças, de guerras e de paz. Acima de tudo, cada qual vai se revelando  por meio de seus projetos e de suas conquistas. (Correio do Estado)




Deixe seu comentário