Campo Grande, 23/04/2024 14:23

Blog do Manoel Afonso

Opinião e atitude no Mato Grosso do Sul

Política

Política • 02 abr, 2024

O primeiro voto


O juiz Luciano Carrasco Falavinha, do TRE/PR, relator do julgamento do caso que pode cassar o mandato do senador Sergio Moro, votou pela improcedência do pedido. Na quarta-feira continua a votação que pode se estender por mais uma sessão. Os advogados do PT e PL, que apresentaram as ações contra o ex-juiz federal e ex-ministro da Justiça, assim como o defensor de Moro, se manifestaram sobre o voto de Falavinha, conforme registro de Catarina Scortecci, da FSP:

Luiz Eduardo Peccinin, advogado do PT: “Foi um voto que, para nós, é bastante equivocado em várias premissas. Eu acho que acaba aceitando muitas desculpas do Moro para apagar o caminhão de dinheiro que injetou na sua pré-campanha”.

Bruno Cristaldi, advogado do PL: “O voto do relator foi bastante complacente num ponto muito delicado, onde ele desconsiderou os gastos de uma campanha presidencial, como se fossem gastos que pudessem ser não computados por um abuso de poder econômico. Isso abre um precedente perigosíssimo de pessoas se candidatarem para um cargo com teto de campanha muito maior, sabendo que podem fazer um gasto que não vai ser computado por uma campanha seguinte”, afirmou ele em entrevista à imprensa após a sessão.

Gustavo Guedes, advogado de Sergio Moro: “O voto de Falavinha está alinhado ao que sustenta a defesa. Ele vem em linha com a defesa, no sentido de que todos os gastos deveriam ser individualizados e analisados um a um. O que os partidos autores tentaram fazer foi juntar, unificar todos esses gastos para torná-los muito maiores. A gente espera que esse voto do relator se mantenha na sequência da votação. A expectativa é que termine na quarta-feira.”

Fonte – Blog do Zé Beto




Deixe seu comentário