Campo Grande, 21/05/2024 11:55

Blog do Manoel Afonso

Opinião e atitude no Mato Grosso do Sul

Saúde

Saúde • 16 abr, 2024

Por que o açucar é um vilão? (dra. Consolação Oliveira)


Quando se trata do açúcar, não adianta tentar um meio-termo. A ciência já refuta completamente qualquer possibilidade de diálogo. A esta altura, já não cabe um “mas será que…?” para relativizar seus malefícios. Em outras palavras, e de uma maneira curta e grossa, ele faz mal e pronto! Entretanto, também é inegável que ele é importante para o nosso dia-a-dia. Existem tradições culinárias seculares que colocam o açúcar como um ingrediente indispensável.
O problema é que dizer que “o açúcar é ruim para a saúde” é um eufemismo dos grandes. Na verdade, há um preço bastante salgado para quem o consome desmesuradamente. Ele é um dos principais vilões contra a longevidade. Isto mesmo, você não entendeu errado: o consumo exagerado de açúcar torna menores as chances de viver por mais tempo.
E isso se deve a vários motivos. Principalmente quando se trata de açúcares refinados e adicionados, que têm uma capacidade ainda maior do que o cristal, por exemplo, de elevar a produção de citocina, uma substância que possui propriedade inflamatória. O excesso de citocina pode provocar uma inflamação crônica, que também leva a doenças da mesma natureza, como diabetes tipo 2 e até câncer.
Outro problema provocado pelo açúcar é a resistência do organismo às ações da insulina. Aqui vale um parêntese: a insulina é um hormônio que tem justamente o papel de controlar o açúcar no sangue. Quando as células não respondem mais a esse controle, os níveis de açúcar tendem então a explodir no organismo, potencializando o indivíduo a desenvolver um diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares, como AVC e hipertensão arterial.
Aliás, o comprometimento da saúde cardiovascular em decorrência do açúcar é visto devido à elevação dos níveis de triglicerídeos, redução de HDL, também conhecido como colesterol bom, e aumento da pressão arterial, que leva a outros problemas graves.
E os malefícios do açúcar são tão evidentes que até a pele é sensível à sua presença. As moléculas de açúcar têm o poder de aglutinar-se com o colágeno e a elastina, duas substâncias importantes para a pele. A glicação, como é chamado esse processo, destrói as fibras dessas proteínas, aumentando muito as chances de a pele perder sua elasticidade, e consequentemente acelerando o surgimento das rugas e da flacidez.
O segredo, então, para evitar todos esses males é combater com certo extremismo qualquer consumo de açúcar. O ideal é buscar substituí-lo esporadicamente por adoçantes menos nocivos, como mel, stévia, taumatina e açúcar mascavo.
Além disso, a medicina ortomolecular é uma grande aliada na intervenção e controle dos radicais livres e dos excessos de toxinas no organismo. Ela atua na prevenção e  no reparo da inflamação crônica, controla os fatores obesogênicos e objetiva o fortalecimento do sistema imunológico e da longevidade saudável. Cuidados esses que buscam a saúde como um todo. Resistir à tentação do doce e buscar auxílio médico são duas soluções que merecem a atenção de quem vive uma dose exagerada de doce.
 
A autora é Dra. Consolação Oliveira, médica especializada em nutrologia, fisiologia hormonal e medicina ortomolecular



Deixe seu comentário