Campo Grande, 19 de setembro de 2018

Blog do Manoel Afonso

Opinião e atitude no Mato Grosso do Sul

Política

Política • 09 fev, 2018

Os oito políticos mais ricos do Brasil


 

1. Lirio Parisotto – segundo suplente de senador, na chapa do amazonense Eduardo Braga, fortuna estimada em US$ 1,6 bilhão pela Forbes. Atua no mercado petroquímico (e ficou conhecido do público pela acusação de agressão feita Luiza Brunet, sua ex-mulher).

2. Blairo Maggi – ministro da Agricultura, fortuna estimada em US$ 1,2 bilhão pela Forbes. Atua nas áreas de sementes, insumos para plantio de soja, produção agrícola (algodão e milho, além de soja), pecuária, fertilizantes e químicos, processamento de soja, transporte fluvial, administração de portos e produção de energia.

3. Newton Cardoso – ex-governador de Minas Gerais e ex-deputado federal, patrimônio controverso porque não declarado em seu nome, 145 fazendas (uma delas com dois poços de petróleo), doze empresas, 145 carros, dois apartamentos nos Estados Unidos, hotel em Paris, casa em Roma, apartamento na capital francesa, uma praia e duas ilhas (uma na Bahia e outra em Angra dos Reis).

4. Marcelo Beltrão de Almeida – ex-vereador de Curitiba por dois mandatos e, na condição de suplente, alcançou uma vaga na bancada paranaense da Câmara dos Deputados nas duas últimas legislaturas. Patrimônio declarado de R$ 740,4 milhões, mas sua ligação herdeira com a CR Almeida aumentam consideravelmente seu patrimônio, sua cota nas ações da empresa vale cerca de R$ 1,2 bilhão.

5. João Claudino Fernandes – segundo suplente do Senador Ciro Nogueira (PP-PI), é dono do Grupo João Claudino, um dos maiores conglomerados do país. O portfólio de atuação vai desde lojas de departamentos a fábricas de colchões e bicicletas. Ao todo, são 16 firmas sediadas em Teresina. Em 2010, Claudino declarou ao TSE que era dono de R$ 623,5 milhões. De acordo com a declaração, 96% da fortuna se concentra em ações ou cotas de capital de empresas ligadas ao Grupo Claudino.

6. Ronaldo Cezar Coelho – ex-deputado estadual pelo Rio de Janeiro em diversas legislaturas. É banqueiro, a fortuna declarada é de R$ 553,3 milhões. Curiosidades: é irmão do comentarista Arnaldo César Coelho e foi apontado pela Folha de S. Paulo como operador de caixa 2 de José Serra no exterior durante a campanha presidencial de 2010.

7. Tasso Jereissati – senador. É de uma das famílias mais ricas do nordeste brasileiro, o patrimônio pessoal declarado é de R$ 389 milhões, mas seus negócios abrangem os papéis de duas empresas: a Calila Investimentos e a Calila Participações que entre outras coisas têm, por exemplo, a segunda maior fabricante do grupo Coca-Cola no Brasil, com patrimônio líquido consolidado de R$ 4,2 bilhões. Além da Coca-Cola, Tasso tem parte de sua fortuna construída no ramo imobiliário, possui participação em shoppings centers, tem emissora de TV e duas estações de rádio.

8. Otaviano Olavo Pivetta – ex-prefeito de Lucas do Rio Verde, Mato Grosso. De acordo com o TSE, seu patrimônio é de R$ 359,6 milhões. Fundador do grupo Terra Santa Agro, um dos maiores produtores de grãos do Brasil, faz parte do quadro de sócios e administradores de outras doze empresas no Brasil.

Com dados do Spotniks.




Deixe seu comentário