Campo Grande, 12/04/2024 16:54

Blog do Manoel Afonso

Opinião e atitude no Mato Grosso do Sul

Artigos

Artigos • 28 fev, 2024

O TRE e o fôlego de Moro


(Do correspondente em Brasília) – 

A decisão do presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE), desembargador Sigurd Roberto Bengtsson de agendar para 1º de Abril o julgamento que pode levar à cassação do senador Sergio Moro (União), garantiu um fôlego para Moro.

Num misto de corporativismo local e rito processual moroso, o TRE modificou pela terceira vez a data anunciada para analisar as ações do PT e PL contra o senador paranaense por abuso de poder econômico nas eleições de 2022.

A definição do presidente do Tribunal paranaense bate de frente com o posicionamento do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Alexandre de Moraes. Moraes colocou em votação, logo na primeira sessão do ano, a lista tríplice com os indicados para completar o pleno do Tribunal paranaense, condição obrigatória para levar o caso de Moro a julgamento.

Na sequência, o advogado José Rodrigo Sade foi escolhido pelo presidente Lula (PT) e a posse foi marcada para 6 de Março. Pela determinação do presidente do TRE, o julgamento do caso de Moro começa um mês depois da posse de Sade.

Embora a cassação do senador Sergio Moro seja vista como tecnicamente inevitável por diversos juristas, devido à jurisprudência consolidada no TSE, as manobras protelatórias do TRE garantem um sopro ao ex-juiz da Lava Jato e ex-ministro da Justiça. (Fonte – Blog do Zé Beto)




Deixe seu comentário