Campo Grande, 26 de janeiro de 2021

Blog do Manoel Afonso

Opinião e atitude no Mato Grosso do Sul

Amplavisão

Amplavisão, Política • 29 nov, 2020

A fadiga do poder fomenta a renovação


SURPRESA! Repercutindo a vitória do Delegado de polícia Cleverson (PP) contra o candidato (sobrinho) do prefeito Waldeli de Costa Rica. Postulante a deputado estadual em 2018, Cleverson obteve 6.844 votos, (3.499 votos na cidade). Mas carente de afago o eleitor quis mudanças. Waldeli (MDB) exerce excelente 4º mandato, mas fadigou. 
 
A GUILHOTINA de Costa Rica alerta gestores ao estilo ’Rei Sol’, Luiz XIV (‘L État c’est moi’). Não se critica o nível da gestão, mas sim o estilo centralizador – a falta de diálogo com a sociedade organizada, cada vez mais crítica e exigente; querendo algo mais do que o progresso. E aí a urna eletrônica tem o papel de guilhotina – sem sangue. 
 
TRANSFERIR prestígio é complicado. Outro caso: Em Bataguassu Pedro Caravina (PSDB) com recursos indenizatórios da CESP revolucionou a cidade que ficou linda. Mas ele não elegeu Dennis Thomazini (PSDB), perdendo para Akira Otsubo (MDB). A exemplo de Costa Rica, o eleitor temia a ‘sombra’ do prefeito na futura administração. 
 
DICAS aos futuros prefeitos: Não se deve agir como se a cidade fosse sua propriedade, com decisões estritamente do ponto de vista pessoal, sem ouvir técnicos, vereadores e a sociedade. O prefeito há de se conscientizar que após o mandato continuará residente e ouvirá opiniões sobre sua postura administrativa. Não há como fugir dessa realidade. 
 
DOURADOS: Acredita-se que o futuro prefeito Alan Gudes (PP) tenha a dimensão da responsabilidade compatível ao seu feito espetacular. A propósito, as pesquisas e os sociólogos de plantão nem sempre adentram as entranhas do eleitor, às vezes puro, vezes pragmático, frio, incoerente, irônico ou até conivente. Enfim, um pouco de tudo! 
 
AQUIDAUANA: Mantido o protagonismo dos tempos da UDN e PSD e pela primeira vez em 128 anos uma mulher (Viviane Orro) do grupo do deputado Felipe Orro (PSDB) disputou a prefeitura. Mas em 2022 haverá novo embate com espaços já demarcados. Aquidauana é imune a outros fatores; imutável no tempo ao seu estilo pantaneiro. 
 
1 – ASSEMBLEIA: Deputado Lucas de Lima (Solidariedade): projeto normatizando o descarte de máscaras e acessórios anti Covid. Deputado Contar (PSL): projeto amplia a transparência e acesso aos atos administrativos. Deputado Lídio Lopes: preside a CCJR; aprovado seu projeto prevendo expedição de diplomas impressos em Braille. 
 
CONFIRA o desempenho partidário que elegeu 838 vereadores nos 79 municípios: PSDB 231 – DEM 120 – MDB 118 – PSD 80 – PDT 51 – Podemos 36 – Patriota 31 – PP 30 – PT 25 – PSB 21 – Republicanos 20 – PSL 16 – SD 12 – PL 9 – Rede 2 – PSC 2. Há 2 critérios de avaliação: pela quantidade e pelo número de seus votos obtidos. 
 
‘OS NOVOS’: A expectativa de mudanças pela ‘renovação’ nas Câmaras municipais leva-nos a frase de Lampeduza: “As coisas mudam para ficar como estão”. Impressiona! Tudo ficará só na intenção? Logo os novatos se encantam com as luzes do poder e suas benesses? Contaminados pelo vírus da vaidade os novos se transformarão em velhos? 
 
HERÓIS? Opinião pública criticando o envolvimento de oficiais da Polícia Militar em episódios de agressões, contrabando e narcotráfico. Abusam da condição de ‘agentes da lei’, geram insegurança e medo! Aliás, alguns destes oficiais já foram até homenageados na Assembleia Legislativa recebendo medalhas inclusive. Atenta, a sociedade critica. 
 
CARONA: A questão do racismo é aproveitada também por personagens em busca de espaço social/político. Num passe de mágica apareceu gente totalmente fora do contexto proferindo opiniões radicais e cometendo excessos. Mas os holofotes são insuficientes para iluminar esses oportunistas ocasionais. Azar deles – continuarão ignorados. 
 
2-ASSEMBLEIA: Deputado Neno Razuk (PTB): pede recursos para a psicultura em Amambai; quer canal de denúncias contra maltrato de animais. Deputado Marçal Filho (PSDB): é lei seu projeto para escolas e hospitais notificarem automutilação e suicídios. Deputado Evander Vendramini (PP): pede ampliação da rede de esgoto em Iguatemi. Deputado Gerson Claro (PP): ativo nas sessões; entregou benefícios às cidades e entidades via de emendas parlamentares. 
 
RENOVAÇÃO: Aportará na Assembleia Legislativa. O ex-presidente da Famasul, Ademar Silva Jr – ligado à ministra Tereza Cristina – tentará uma cadeira pela região do ‘Bolsão’ para ocupar o futuro espaço à vista pela possível desistência do deputado Eduardo Rocha (MDB) em disputar mais uma reeleição. É o que rola nos bastidores. 
 
SEM MACHISMO: Professora e vereadora Gerolina Alves (PSD) derrotou o prefeito Edvaldo Queiroz (PDT) e o ex-prefeito Silas José (PSDB em Água Clara. Gerolina foi eleita vereadora pelo PSDB, migrou para o PSD viabilizando sua candidatura. Obteve 3.605 votos, contra 3.004 do 2º colocado Edvaldo. Uma personagem interessante. 
 
TRÊS LAGOAS: Em 2016 bem que tentaram diminuir a imagem do candidato Ângelo Guerreiro (PSDB) e até compará-lo ao ex-prefeito Ari Artuzzi de Dourados. Não colou! No poder, agradou plenamente – reeleito com 63,92% dos votos contra 7 candidatos. Ao seu estilo simples, mas eficiente, ele consolida liderança sólida com respaldo das urnas. 
 
COMPARAÇÃO: A cena final de Maradona no palco da vida precisa ser olhada com atenção também pelos políticos e autoridades no poder. Só quando as luzes dos holofotes se apagam é que eles se dão conta que a festa acabou. Aí enfrentam uma fase existencial difícil. Cruel: ‘amigos desaparecem e a caixa dos correios – vazia! Helpy! 
 
3-ASSEMBLEIA: Deputado A Vaz ( Republicanos): pede o recapeamento da rodovia Campo Grande a Rochedo; presidiu audiência da Comissão de Saúde. Deputado João Henrique (PL): aprovado seu projeto normatizando poda de árvores; em curso projeto contra o leite falso; Deputado José C. Barbosa (DEM): Atendido seu pedido das obras de acesso do Aeroporto à BR-463; pede convocação de praças e oficiais do concurso da Polícia Militar. 
 
DURA LEX SED LEX: Ciclo político do ex-prefeito Braz Melo (PSC) chegando ao fim de forma lamentável. Perdeu o mandato de vereador por improbidade administrativa em decisão confirmada no STJ por doar (década/90) terrenos públicos para funcionários do município de Dourados que não preenchiam os requisitos do grupo de baixa renda. O caso soa como aviso aos futuros prefeitos sobre os riscos a que estarão expostos. 
 
VEREADORES no país: MDB 7335; PP 6341; PSD 5194; PSDB 4377; DEM 4342; PL 3467; PDT 3441; PSB 3029; PT 2625; Rep. 2601; PTB 2474; Cidadania 1585; Pode 1528; PSC 1510; SD 1348; PSL 1205; Avante 1059; PV 805; PROS 754; Patriota 719; PC do B 694; PTC, PRTB 220; PAN 200; Rede 144; DC 123; PSOL 89; PMDB 46; Novo 29; PCB – 0. 
 
EXTREMOS: Em 2016 o PT elegeu no país 2.812 vereadores, agora só foram 2.645. Disputará o 2º turno em 15 cidades, das quais chegou em 7 na frente no 1º turno. Caiu de 6,1 milhões de habitantes que governava para 3,8 milhões. Já a direita saiu vencedora através do DEM, PP e PSD com expressiva votação, independentemente das estripulias de Bolsonaro. E para 2022 – convenhamos – juntar a esquerda é mais difícil que unir o pessoal do centro e direita. 
 
No Brasil as pessoas que mais tempo permanecem na cadeia são os carcereiros. (Fraga)
 
***



Deixe seu comentário