Campo Grande, 23/04/2024 13:09

Blog do Manoel Afonso

Opinião e atitude no Mato Grosso do Sul

Política

Política • 26 mar, 2024

Bastidores: partidos negociam alianças para as eleições


Enquanto não chegam às convenções partidárias, as principais lideranças políticas buscam acordos de aliança visando às eleições municipais deste ano em Campo Grande, onde pelo menos 8 pré-candidatos se movimentam em torno da disputa pela prefeitura.

As convenções passam a ser permitidas entre 20 de julho e 5 de agosto para homologação de candidaturas às prefeituras e às câmara municipais, enquanto o primeiro turno das eleições serão em 6 de outubro.

Eventual segundo turno será no dia 27 (no último), nas cidades com mais de 200 mil eleitores em que o candidato ou candidata não atingiu maioria absoluta (mais da metade dos votos válidos).

Os pretensos pré-candidatos na capital são a prefeita Adriane Lopes (PP), que busca a reeleição, André Luís Soares (Rede), o ex-governador André Puccinelli (MDB), os deputados federais Beto Pereira (PSDB) e Camila Jara (PT), os ex-deputados estaduais Capitão Contar (PRTB) e Rafael Tavares (PL) e a superintendente da Sudeco, Rose Modesto (União Brasil).

A confirmação da pré-candidatura de Tavares foi anunciada nesta manhã pelo deputado federal Marcos Pollon, presidente regional do PL, durante entrevista ao Jornal da Hora.

Ele disse que encontrou-se com Bolsonaro na última semana, quando definiu-se pelo nome de Tavares como pré-candidato pelo PL a cadeira de Adriane Lopes.

Experiência no cargo

Desses, além da atual prefeita, apenas André Puccinelli e Beto Pereira têm experiência por terem exercido o cargo em Campo Grande e Terenos, respectivamente.

Ex-presidente da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul) e integrante da CNM (Confederação Nacinal de Municípios), Beto Pereira conta com o apoio do governador Eduardo Riedel (PSDB) e do ex-governador Reinaldo Azambuja, presidente regional do PSDB.

Apoio nacional

A disputa pela prefeitura também envolve uma polarização nacional, uma vez que Camila Jara aposta no apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e alguns de seus eventuais adversários brigam para contar com a boa popularidade do ex-presidente Jair Bolsonaro.

Nesse caso, a queda de braço está sendo travada entre Adriane Lopes e Capitão Contar. Se confirmada a informação de Pollon, Tavares vai para a disputa.




Deixe seu comentário