Campo Grande, 19 de novembro de 2019

Blog do Manoel Afonso

Opinião e atitude no Mato Grosso do Sul

Amplavisão

Amplavisão, Política • 08 nov, 2019

AMPLA VISÃO| As tetas municipais perto do fim?


O CAMINHO Já publiquei a opinião do Sergio Longen presidente da Federação das Industrias de MS sobre a conexão entre o desemprego e a falta de qualificação. Pois é – conheci Miguel, repositor de supermercados da capital. Aos 22 anos, ex-funileiro, ex-garçom e ex-ajudante de estande de tiro ao alvo. Solteiro, não aproveita a noite para se qualificar ou estudar. Mas prometeu mudar de vida em 2.020 especializando-se numa área no sistema S (Sesi-Senai), como aliás fez o Paulo ( feliz da vida), torneiro de aviação pelo Senac desde 2003. Curso profissionalizante; é o caminho! 

‘WANTED’ a ex-senadora Marina Silva simplesmente derreteu. Não se vê mais aquela imagem falante de outros tempos em prol do meio ambiente. Deveria estar defendendo a nossa costa oceânica contra o derrame de petróleo. Presume-e que deva estar orando, ou como se diz ‘louvando’. Ma deve reaparecer com a voz messiânica para pedir votos. Quem também não disse um ‘a’ sobre o episódio foi o Papa Francisco ( que ignorou Brumadinho) que se aproveitou com as queimadas da Amazônia. Quanto ao Partido Verde (não plantou um pé de alface) amarelou, como as ONGs, ‘ambientalistas’ e artistas da Globo. E o que falar do midiático ‘GreenPeace’ que fugiu da raia!? 

EXPLICANDO As vezes o cara estuda, faz mestrado, tem PHD em várias áreas mas na pratica decepciona. Isso é frequente na vida pública. Aí vem o outro lado do enfoque: aparece um cidadão simples, com olhar e senso prático, substituindo títulos, diplomas, tradição e agrada. Ocorre isso em Três Lagoas – onde até figuras ilustres da oposição aplaudem a gestão do prefeito Ângelo Guerreiro(PSD). Neste ‘Finados’, por exemplo, a sua equipe deu show na recepção aos visitantes no cemitério (bem cuidado): cadeiras, água gelada, tendas e todo um aparato para garantir bem estar. É preciso estar junto do povo e ter visão pragmática. Detalhes preciosos e decisivos. Prefeito presente! 

SEM PROTAGONISMO A Polícia Civil e o Ministério Público Estadual deram provas de maturidade, esquecendo suas divergências funcionais e se uniram para dar resposta convincente à sociedade na retumbante operação para elucidar uma série de assassinatos principalmente em Campo Grande. Ação sem caras, sem heróis, que resgata a imagem das duas instituições e devolve à comunidade a certeza do fim das ‘pizzas’, das investigações abortadas, de inquéritos e processos colocados no fundo das gavetas oficiais. Há muita saia justa neste palco de figuras classudas flagradas em bilhetes, fotos e conversas. Como sempre o plantio é livre, a colheita – inevitável! ” 

‘BEABÁ DO MDB’ Para sair das trevas – a exemplo do PT – o MDB tenta atrair candidatos à vereança em Campo Grande, com aulas de marketing político e aceno de ajuda financeira pelo Fundo Partidário. Deve ser ‘interessante’ o teor das palestras proferidas, uma delas por ex-vereadora. Imagino: como falar de ética combatendo a corrupção com os casos cavernosos envolvendo lideranças nacionais do próprio MDB, inclusive o ex-governador Puccinelli aqui no MS. Aliás em suas entrevistas André não fala de suas prisões e da situação do seu ex-Secretário de Obras Edson Giroto, preso há mais de um ano. Aliás, André jamais voltou ao presídio para visitá-lo. ‘Muy amigo’. 

A PROPÓSITO vale citar a definição do ministro Luís Roberto Barroso no plenário do STF: “ Corrupção mata, mata na fila do SUS, mata na falta de leitos, mata na falta de medicamentos, nas estradas sem manutenção adequada, destrói vidas que não são educadas por falta de escolas, equipamentos e cuidados. O fato de o corrupto não olhar nos olhos da vítima que ele produz; a crença de que a corrupção não é crime grave e violento, e que os corruptos não são perigosos, que não usam revólveres, geram um quadro sombrio em que recessão, corrupção e criminalidade elevadíssima nos atrasam na história, num país que não consegue progredir.” 

DISCURSO Ainda é arma decisiva na política. Ulysses Guimarães (ex-deputado federal do MDB) dizia que eleição se ganha assim: 70% de prestígio e 30% de saliva. Com o avanço tecnológico, a imagem associada a voz e gestos contam na construção de uma candidatura. Claro que o carisma, o timbre de vez e o domínio do tema pesam. Mas nem sempre a intelectualidade decide. Imagine um candidato falando dos elementos químicos da bomba atômica. Cansaria a plateia. Por outro lado, o candidato mais simpático abordando temas mais simples – pode se sair melhor. Lembro: a música ‘Caneta Azul’ caiu no agrado justamente pelo estilo simples do interprete medíocre. 

OLHO VIVO! Os políticos são ocupadíssimos, principalmente após eleitos. Aliás seria ótimo vê-los na fila da lotérica no início do mês e assim poder ouvir as reclamações do intrépido brasileiro ali postado para pagar as tarifas da vida urbana. O assunto da hora não era o futebol, mas a tarifa salgada da gloriosa Energisa e a falta de assinatura na Assembleia Legislativa para instalação da CPI encabeçada pelo deputado Capitão Contar (PSL). Como a opinião pública é pragmática, dispensa detalhes técnicos e mira objetivamente na proposta – questionava os motivos encarecedores da conta de energia. E aí – o prestígio dos deputados foi abalado. Na política vale mais a versão que o fato. 

XORORÔ Já começou a bronca dos prefeitos, vice prefeitos e vereadores dos 1.254 municípios que poderão ser extintos – segundo o projeto do Palácio do Planalto. No fundo estão chorando antecipadamente pelo que seria o ‘fim da boquinha’, não só para eles ( 11.277 vereadores, 1254 prefeitos e 1254 vice prefeitos), funcionários e apaniguados de políticos das prefeituras e ‘gloriosas’ câmaras municipais. Veja Jatei (MS): criado em 1977; após 42 anos tem pouca renda e população de 4.034 pessoas. Qual a chance dela melhorar? Criada pela força política como Novo Horizonte do Sul, Figueirão, Taquarussu e Rio Negro. E o mundo não vai acabar por isso. 

CENÁRIOS Figueirão; criado em 2005 com terras de Camapuã e Costa Rica. Em 2016 o candidato à vereança mais votado (9 vagas) obteve 170 votos. Pelos números de 2014 o município contava com 3005 habitantes e sua área é de 4.882.879 km2. Novo Horizonte do Sul: criado em 1992. O salário do prefeito é R$9.000,00 e de cada um dos 9 vereadores é de de $3.500,00; população de 5.050 habitantes. Taquarussu: criado em 1981 e tem 3.520 habitantes. Divide com Naviraí, Novo Horizonte do Sul, Nova Andradina e Batayporã. Rio Negro; criado em 1965; 5.038 habitantes. Divide com Aquidauana, Corguinho, Rio Verde de MT e São Gabriel D’Oeste. 

EXEMPLO da mão política na criação de cidades vem de Minas Gerais. Dos 852 municípios, tem 231 cidades abaixo de 5 mil habitantes. Destaque-se o Rio Grande do Sul: 497 municípios, sendo 226 com população abaixo dos 5.000. Santa Cataria e outro caso: dos 295 municípios, 106 na lista dos inviáveis. Das 645 cidades paulistas, cerca de 142 não atingem o mínimo exigido; Borá a menor do país: só 645 pessoas. Na lista Glicério (terra do presidente Bolsonaro) com 4.815 almas. Mato Grosso perderia 34 cidades. Das 224 cidades, o Piaui perderia 78. Enfim, aumentará o desemprego no país. Mas desde quando vereança e cargo de prefeito são empregos? Ótimo! A causa é nobre. 

POLÊMICA Gosto de conversar com o deputado Marçal Filho (PSDB), pela sua formação, bagagem parlamentar e visão influenciada pela condição de radialista. Sobre o projeto do seu colega João Henrique Catan (PR) que objetiva colocar os homossexuais em pé de igualdade na doação de sangue no MS, contrariando inclusive uma portaria federal neste sentido, Marçal não esconde; votou contra. Acha que se tratando de uma matéria de saúde pública, não pode haver dúvidas e a competência não pode ser atribuída aos Estados. No arremate Marçal questiona: “Se o paciente puder escolher entre o sangue de um doador heterossexual e o homossexual escolherá qual deles?” 

ENERGISA Sem ilusões do comunismo utópico! Seu objetivo é o lucro e ponto final. Ela não adquiriu o controle acionário por mero lirismo ou exercício da caridade. E neste nicho, a exemplo do ramo das comunicações, não há inocentes doadores do próprio sangue. Pelo contrário – chupam o sangue do próximo até a última gota. É o capitalismo cruel e democrático, porque você pode simplesmente desligar o sistema e adotar a lamparina, desvencilhando-se das amarras do sistema elétrico. No meio da polêmica na Assembleia Legislativa ouvi uma conclusão irônica: “das duas uma – deputados andam ganhando muito ou voltaram ao tempo escuro das cavernas”. Uau! 

‘NÁDEGAS FLÁCIDAS’ No saguão da Assembleia Legislativa os observadores divergem sobre a postura desafiadora e irônica do deputado Tio Trutis (PSL) que esculhambou o parlamento como mostra o noticiário. O que se debateu naquele espaço democrático é se isso iria ser bom ou ruim para o deputado Trutis em termos eleitorais. Ele surfa nas redes sociais desde as eleições onde obteve 56.339 votos, dos quais 29.028 votos na capital, batendo Tereza Cristina (DEM), Beto Pereira (PSDB), Vander Loubet (PT) e Dagoberto (PDT). Alguém lembrou que demagogicamente ou não, ele defende a parte mais sensível do corpo do eleitor, que é o bolso. E o eleitor – só observando… 

DÚVIDAS Impressiona como o narcisismo aflora na internet. Passa a impressão que todos os cidadãos ( ricos ou não) anônimos querem a notoriedade igual daqueles profissionais que lidam com a mídia. Num passe de mágica eles se transformam em juristas, cientistas políticos e acima de tudo corajosos. Pessoalmente acho até perigoso porque é um espaço onde o cidadão está pronto para sua vingança ou atirar pedras, por inveja, mágoa ou complexo de inferioridade. E pelo visto é um caminho sem volta; acabou o monopólio da notícia e da opinião. Essas eleições provaram isso e as próximas devem aprofundar ainda mais a importância da internet no debate. Os tempos mudaram. 

CONCORRÊNCIA A notícia da revogação do decreto que proibia o plantio da cana de açúcar no entorno da região pantaneira caiu como um meteoro nos círculos políticos e por extensão deve provocar muita discussão também na Assembleia Legislativa, onde a pauta estava focada na CPI da Energisa e fatos correspondentes. Nessa hora cada qual vendendo seu peixe para não ficar em situação incômoda perante a opinião pública, que aliás anda indecifrável nos últimos tempos. Uns à favor, outros contra, e ainda aqueles com um pé em cada canoa sob o argumento de que é preciso esperar a avaliação técnica sobre eventuais estragos ambientais. É a repetição daquele velho filme. 

RÁPIDAS 

Deputado Antônio Antonio Vaz (Republicanos): Presidente da Comissão da Saúde tem agenda marcada com o presidente da Federação das Apaes de MS; requereu ao Governo ajuda para o Hospital Abramastácio de Anastácio, em dificuldades. 

Deputado Barbosinha (DEM): Defendeu a CPI da Energisa desde que exista uma causa determinada para evitar desgastes da Casa; Presidiu sessão solene na quinta feira homenageando 23 escrivães policiais através de concessão de merecidas comendas. 

Deputado Capitão Contar (PSL): Presidirá no dia 11 audiência pública da atividade leiteira; feliz com a receptividade de suas ações de fundo cívicas; promete participar ativamente das ações da CPI da Energisa aprovada na Assembleia Legislativa. 

Deputado Evander Vendramini (PP): Quer dinheiro do Fundo de Defesa/Reparação de Interesses Difusos Lesados contra a queimadas e recuperação das áreas. Espera mais subsídios sobre o decreto da liberação dos canaviais no Pantanal. Estudioso e aplicado. 

Deputado Gérson Claro (PP): Comemora aprovação do PL do TCE na Assembleia facilitando o pagamento de dívidas e taxas junto àquele órgão fiscalizador. Recebeu lideres de classes da capital e interior no seu gabinete tratando de pautas diversas. 

Deputado Herculano Borges (Solidariedade): Aprovado seu projeto que estabelece normas para construção de quadras poliesportivas em escolas; comemora o sucesso da Convenção do seu partido na capital e da Maratona que comandou pelos 40 anos do MS. 

Deputado Lídio Lopes (Patriota): Liderança maior da região do Cone Sul vem fazendo a ligação do Governo Estadual com as prefeituras da região. Recebeu lideranças em seu gabinete, além de acompanhá-las em visitas a várias secretarias e órgãos estaduais. 

Deputado Londres Machado (PSD): Sua interferência pautada na experiência e olhar profundo foi de grande valia na acomodação de forças na questão da CPI da Energisa. Londres entende que o parlamento não pode se omitir, mas sem agir precipitado. 

Deputado Lucas de Lima (Solidariedade): Assinou os dois pedidos de CPI contra a Energisa Membro da Comissão do Meio Ambiente atento ao decreto liberando os canaviais no Pantanal. Quer inclusive ouvir a ministra Tereza Cristina sobre a matéria. 

Deputado Marçal Filho (PSDB): Aprovado seu projeto obrigando a Energisa a especificar os gastos com roubos de energia; aprovada sua proposição restringindo o porte de arma ao agressor de mulher. Só convencido é que assinou CPI da Energisa. 

Deputado Márcio Fernandes (MDB): Presidente da Comissão da Agricultura e Pecuária quer falar com a ministra Tereza Cristina (Agricultura) sobre a liberação do plantio da cana no Pantanal. Quer dados técnicos e estudos para seu convencimento. 

Deputado Neno Razuk (PTB):  Pede academia ao ar livre para bairro dos Bancários em Aquidauana e asfaltamento na região do Travessão do Castelo e na rodovia Nelson P. de Matos na região do Jardim Maracaná até a rotatória do Anel Viário. Um batalhador! 

NA INTERNET: Reação de Dilma sobre a proposta de extinção municípios: “Onde vai morar toda essa gente?” 

NO FACEBOOK: “Nepotismo: STF vai investigar porque Bolsonaro indicou a própria mulher para ser a Primeira Dama.” 




Deixe seu comentário